Covid-19: Cabo Verde já gastou mais de 154 milhões de euros | Cabo Verde | DW | 02.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cabo Verde

Covid-19: Cabo Verde já gastou mais de 154 milhões de euros

Gastos com medidas de combate e mitigação dos efeitos da pandemia de Covid-19 já representam cerca de 14% do PIB cabo-verdiano. Governo prevê "insustentabilidade futura", caso não consiga controlar a pandemia.

"Só em relação a 2020, olhando para a toda a intervenção do Estado - na educação, saúde, proteção dos empregos e produção dos rendimentos - estamos a falar de mais de 17 milhões de escudos (154 milhões de euros), representa cerca de 14% do PIB", disse esta quinta-feira o ministro cabo-verdiano das Finanças Olavo Correia.

O ministro, que falava em conferência de imprensa, na cidade da Praia, após ter apresentado a proposta de Orçamento do Estado para 2021 ao presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, disse que são gastos diretos que o país continua a incorrer.

"E a cada dia que a economia continua confinada, os gastos tenderão a aumentar-se", prosseguiu o também vice-primeiro-ministro, que prevê uma "insustentabilidade futura", se o país não conseguir controlar a pandemia.

Covid-19: Testes em massa na Cidade da Praia

Cabo Verde regista uma acumulado de 6.126 casos da doença desde 19 de março, dos quais 61 óbitos, 5.338 recuperados, dois doentes transferidos para os seus países e 725 casos ativos.

Neste sentido, Olavo Correia pediu a todos para terem um "comportamento adequado", para colocar a propagação do vírus a níveis que sejam suportáveis e pagináveis com as recomendações internacionais.

Crise económica

Cabo Verde vive já uma profunda crise económica provocada pela pandemia, com o setor do turismo, que garante 25% do PIB, parado desde março, com perdas que podem chegar aos 70%.

Para o próximo ano, o Governo prevê o aumento do número de turistas, entre 22% a 35%, dependendo do quadro epidemiológico, quer no país, quer no mundo.

Covid-19: Máscaras comunitárias "made in" Cabo Verde

A proposta de Orçamento de Estado para 2021 é de 706,4 milhões de euros, um aumento de 27,3 milhões de euros em relação ao orçamento ainda em vigor e elaborado por causa da Covid-19.

Depois de um recessão histórica entre 6,8% e 8,5% este ano, o instrumento de gestão prevê um crescimento de 4,5%, mas só se o país conseguir controlar a pandemia da Covid-19, disse o ministro.

Para o próximo ano económico, o Governo cabo-verdiano prevê ainda uma inflação de 1,2%, défice orçamental ainda negativo (-8,8), uma taxa de desemprego a reduzir de 19,2% para 17,2% e uma dívida pública de 145,9% do PIB.

Além disso, no próximo ano, Cabo Verde prevê gastar mais de 176 milhões de euros com o serviço da dívida, um máximo histórico, segundo a proposta de Orçamento do Estado para 2021.

Leia mais