Cabo Verde declara emergência social e económica | NOTÍCIAS | DW | 20.06.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Cabo Verde declara emergência social e económica

O primeiro-ministro cabo-verdiano declarou a situação de emergência social e económica no país devido aos impactos da guerra na Ucrânia. As medidas de mitigação custarão mais de 80 milhões de euros.

"A situação é de emergência económica, social e humanitária em vários países do mundo, particularmente os países menos desenvolvidos. Em Cabo Verde, sentimos os fortes impactos na inflação, na deterioração do poder de compra das famílias, na segurança alimentar e nas perspetivas de crescimento económico", anunciou Ulisses Correia e Silva numa declaração ao país.

Primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva

Primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva

"Estas são as razões para declarar situação de emergência social e económica em Cabo Verde, derivada dos impactos da guerra na Ucrânia", acrescentou.

O chefe do Governo avançou que o custo total para a implementação das medidas de mitigação dos efeitos das crises alimentar e energética é de 8,9 mil milhões de escudos (80,7 milhões de euros) até ao final deste ano.

O país vive ainda uma profunda crise económica após uma recessão de quase 15% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, face à ausência de turismo provocada pela pandemia de Covid-19, setor que garante 25% do PIB e do emprego.

O Governo cabo-verdiano admite que a economia possa ter crescido entre 6,5 e 7,5% em 2021, impulsionada pela retoma da procura turística, e prevê 6% de crescimento em 2022, que foi revisto para 4%, devido às consequências económicas da guerra na Ucrânia.

Cabo Verde: Aumento de preços dificulta a vida dos mais pobres

Leia mais