Ataque na Tanzânia pode estar relacionado com ajuda a Moçambique | Moçambique | DW | 26.08.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Ataque na Tanzânia pode estar relacionado com ajuda a Moçambique

Atirador matou quatro pessoas na cidade de Dar es Salaam. O ataque, junto à embaixada francesa, acontece um mês depois do envio de soldados tanzanianos à província moçambicana de Cabo Delgado.

Um homem matou três polícias e um segurança durante um ataque a um bairro diplomático em Dar es Salaam, na quarta-feira (25.08). O atacante foi morto a tiro depois de se esconder numa guarita junto ao portão da embaixada francesa.

Seis pessoas ficaram feridas, segundo o chefe de operações da polícia tanzaniana, Liberatus Sabas. 

Tansania | Schießerei nahe der französischen Botschaft in Daressalam

O homem ainda não identificado foi retirado da guarita da embaixada por um grupo de polícias

O atacante disparou primeiro contra dois agentes que se encontravam num cruzamento do bairro diplomático, informou a polícia. Depois, pegou nas armas dos agentes mortos e seguiu em direção à embaixada francesa, a 100 metros, tendo então procurado abrigo na guarita do edifício.

A Presidente tanzaniana, Samia Suluhu Hassan, disse no Twitter que o homem foi "neutralizado" e a "calma foi reestabelecida".

"Envio as minhas condolências à polícia e às famílias dos três agentes e do guarda da empresa SGA, que perderam a vida após o ataque na zona de Salenda, em Dar es Salaam", escreveu Hassan.

Possível reflexo da intervenção em Cabo Delgado

O inspetor-geral da polícia, Simon Sirro, disse em entrevista à televisão local que o motivo do ataque ainda não era conhecido, embora suspeitasse de uma ligação ao envio de tropas tanzanianas para ajudar a combater os insurgentes na província moçambicana de Cabo Delgado. 

"Há problemas, os nossos soldados estão lá", comentou Siro.

O chefe de operações Liberatus Sabas disse aos jornalistas que ainda era cedo para saber se o atirador era natural da Tanzânia ou se estava ligado a grupos terroristas. 

Assistir ao vídeo 04:52

Vitória dos talibãs no Afeganistão pode influenciar no terrorismo em Cabo Delgado?

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados