Ataque em Nairobi faz pelo menos 14 mortos | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 16.01.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Ataque em Nairobi faz pelo menos 14 mortos

Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, confirmou que pelo menos 14 pessoas morreram num ataque a um complexo hoteleiro de luxo. Forças de segurança mataram atacantes.

O Presidente Uhuru Kenyatta confirmou, esta quarta-feira (16.01), num discurso difundido pela televisão, que "catorze vidas inocentes se perderam e outras pessoas ficaram feridas" num ataque ao complexo hoteleiro DusitD2, que inclui, para além de um hotel de luxo, bares, restaurantes e escritórios.

O grupo extremista Al-Shabab reivindicou a autoria do ataque, que começou na terça-feira, com a explosão de um carro-bomba conduzido por um extremista suicida, a que se seguiu uma outra detonação e um tiroteio no hotel. Entretanto, segundo o Presidente queniano, "todos os terroristas foram eliminados". Kenyatta não mencionou o número de atacantes.

O grupo Al-Shabab foi o responsável pelo ataque de 2013 ao centro comercial de Westgate, localizado próximo do hotel DusitD2.

Nairobi Angriff auf Hotel in Kenias Hauptstadt

Extremistas atacaram o hotel DusitD2 na terça-feira

Apelo à calma após ataque

Mais de 700 pessoas tiveram de ser retiradas das imediações do complexo hoteleiro durante a operação das forças de segurança. Mas, esta quarta-feira de manhã, o Presidente queniano encorajou os cidadãos a "regressar ao trabalho, sem medo".

Forças especiais quenianas entraram no hotel para neutralizar os atacantes. Ao início do dia, o ministro queniano do Interior anunciou na rede social Twitter que todos os edifícios do complexo se encontravam fora de risco.

A estação queniana Citizen TV divulgou imagens de videovigilância que mostravam, pelo menos, quatro atacantes fortemente armados com uniformes paramilitares.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos confirmou a morte de um cidadão norte-americano no ataque.

Leia mais