Abel Chivukuvuku funda PRA-JA, um novo projeto político em Angola | Angola | DW | 02.08.2019

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Abel Chivukuvuku funda PRA-JA, um novo projeto político em Angola

Partido do Renascimento Angolano - Juntos por Angola (PRA-JA) é o novo projeto político do antigo líder da CASA-CE, Abel Chivukuvuku. Político já submeteu legalização do partido ao Tribunal Constitucional.

À frente do PRA-JA está Abel Chivukuvuku, afastado da liderança da CASA-CE, a terceira maior força política de Angola, em fevereiro deste ano, depois de ser acusado de fazer oposição à própria coligação.

O novo partido surge assim menos de seis meses depois com a promessa de ser uma "alternativa" no "firmamento político" de Angola. Durante a cerimónia da Assembleia Constituinte do PRA-JA, esta sexta-feira (02.08), Abel Chivukuvuku apontou as eleições autárquicas como o primeiro desafio, embora o seu principal foco sejam as eleições gerais de 2022.

Angola Portugal - Abel Chivukuvuku, Oppositionspolitiker

Abel Chivukuvuku, antigo líder do partido CASA-CE

"Dedicaremos o ano de 2021 para trabalharmos afincadamente para o nosso crescimento e estarmos preparados para as eleições gerais de 2022, nas quais teremos que ser, para o bem de todos os angolanos, uma alternativa positiva, pacífica, para o nosso país", disse em Luanda perante várias dezenas de apoiantes.

Confiante na legalização

O pedido de formalização do novo partido foi entregue esta sexta-feira no Tribunal Constitucional (TC) de Angola, após um percurso de três quilómetros feito a pé pelo próprio político. À saída, Abel Chivukuvuku manifestou-se "completamente confiante" na legalização do novo partido.

"É a primeira vez na minha vida que faço um partido político, nunca o fiz, e pela primeira vez vou fazê-lo e quero ter também confiança nas instituições da República de Angola", referiu. Segundo o político, para o processo de legalização, que se consubstancia na recolha de assinaturas de suporte, a meta é "largamente ultrapassar a norma legal, que diz que são 7.500".

Angola l Delegierte - Partido do Renascimento Angolano - Juntos por Angola PRA JA

Dezenas de apoiantes estiveram esta sexta-feira (02.08) reunidos em Luanda na Assembleia Constitutiva do novo partido PRA-JA

"Nós vamos apresentar entre 30 mil a 50 mil [assinaturas] para garantir que não haja empecilhos. Terminada esta fase esperaremos também pela legalização do PRA-JA, o que nos levará para a terceira e derradeira que será a institucionalização", avançou.

Bandeira e lema

Antes da deslocação ao TC, foram aprovadas a sigla e a bandeira do novo partido, que escolheu como lema "Servir Angola".

Ouvir o áudio 02:09

Abel Chivukuvuku funda PRA-JA, um novo projeto político em Angola

Diante de dezenas de apoiantes, Chivukuvuku fez várias promessas, incluindo a de colocar o cidadão angolano no centro do trabalho político.

"Chegou a hora de assumirmos o angolano como a razão de ser de todos os nossos propósitos políticos e da nossa existência como servidores públicos", afirmou. "Assumamos os cidadãos angolanos como a base essencial para a construção, assumamos as nossas crianças muitas vezes deixadas desprotegidas horas a fios pelas corajosas mães zungueiras", acrescentou.

Chivukuvuku realçou ainda que são precisas mudanças de fundo no país "para acabarmos com a fome em Angola, para acabarmos com as crianças fora do sistema de ensino, para acabarmos com a juventude que não tem emprego".

Caso a nova força política seja aprovada pelo Tribunal Constitucional, o primeiro congresso do PRA-JA deverá ser realizado no primeiro trimestre de 2020. Os estatutos do projeto político de Abel Chivukuvuku deverão prever um mandato de presidente de cinco anos, renovável apenas uma vez.

Leia mais