1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Profissional de saúde em traje de proteção  segura injeção e vacina da Pfizer-Biontech. Testes com vacina Pfizer-Biontech em adolescentes de 12 a 15 anos indicam respostas robustas de anticorpos
Testes com vacina Pfizer-Biontech em adolescentes de 12 a 15 anos indicam respostas robustas de anticorposFoto: Marwan Naamani/dpa/picture alliance
SaúdeGlobal

Vacina Pfizer-BioNtech tem 100% de eficácia em adolescentes

31 de março de 2021

Imunizante passou por teste de fase 3 com 2.260 voluntários de 12 a 15 anos e aguarda aprovação da agência reguladora dos EUA. Vacinação de adolescentes e crianças pode ser decisiva para retomada de aulas em escolas.

https://www.dw.com/pt-br/vacina-pfizer-biontech-tem-100-de-efic%C3%A1cia-em-adolescentes-apontam-testes/a-57064046

A empresa alemã de biotecnologia BioNtech anunciou nesta quarta-feira (31/03) que sua vacina desenvolvida em parceria com a farmacêutica Pfizer é 100% eficaz em adolescentes de 12 a 15 anos.

O resultado, que foi comprovado na fase 3 de testes, também indicou "respostas robustas de anticorpos, superiores às registradas anteriormente, em participantes com idades de 16 a 25 anos", segundo afirma uma nota divulgada pela Pfizer.

Os testes foram realizados em 2.260 voluntários de idades entre 12 e 15 anos nos Estados Unidos. Foram diagnosticados 18 casos de infecção pelo novo coronavírus no grupo que recebeu um placebo, mas entre os que receberam a vacina da Pfizer/BioNTech, não houve resultados positivos.

Isto demonstra "forte imunogenicidade em um subgrupo de adolescentes um mês após a segunda dose", diz uma nota da Pfizer. Os efeitos colaterais observados foram semelhantes aos detectados com o teste com voluntários de entre 16 e 25 anos.

O presidente e CEO da Pfizer, Albert Bourla disse que a intenção é apresentar um pedido de autorização junto a agência reguladora dos Estados Unidos, a FDA, e outros órgãos similares, para que seja possível imunizar essas faixas etárias antes do próximo período letivo.

O cofundador e CEO da BioNTech, Ugus Sahin, afirmou que os resultados são "muito animadores, dadas as tendências que vimos nas últimas semanas sobre a expansão da variante B.1.1.7 detectada inicialmente no Reino Unido".

1,4 bilhão de doses aplicadas até final do ano

No geral, a vacina Pfizer-BioNtech, que em fevereiro obteve registro definitivo junto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Brasil, já havia mostrado eficácia de 95%.

A maioria das vacinas distribuídas em todo o mundo são somente para adultos, que estão sob maior risco de sofrerem complicações decorrentes das infecções por coronavírus.

O imunizante da Pfizer pode ser administrado em pessoas de mais de 16 anos, mas a vacinação em crianças será fundamental para que seja possível vencer a pandemia e ajudar as escolas a retornar a uma certa normalidade, ao menos para os alunos mais velhos.

Na semana passada, a Pfizer e a Biontech anunciaram que começaram os testes sobre a eficácia e segurança da vacina que em crianças de idades entre seis meses e 11 anos.

O governo de Israel já anunciou que começará a imunizar os jovens de 12 a 15 anos com a vacina da Pfizer logo após a aprovação da FDA

A previsão da Pfizer e da BioNTech é administrar 200 milhões de doses da vacina, batizada de BNT162b2, em todo o mundo até a próxima sexta-feira. Até o fim do ano, a expectativa é que 1,4 bilhão de sejam aplicadas.

rc (AP, Reuters, EFE)