Quadro de Van Gogh nunca exibido em público é leiloado por 13 milhões de euros | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 26.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Arte

Quadro de Van Gogh nunca exibido em público é leiloado por 13 milhões de euros

Criada durante breve estada do mestre holandês em Paris, obra pertenceu a uma família francesa por quase um século e meio, e nunca tinha sido exposta. Preço de "Cena de rua em Montmartre" quebrou recorde.

Mulher e homem de máscara protetora e luvas penduram quadro de Van Gogh Scène de rue a Montmartre na parede

Nunca antes exibida em público, tela do mestre pós-impressionista foi a sensação do leilão em Paris

Uma das poucas pinturas de Vincent Van Gogh ainda em mãos privadas foi vendida por mais de 13 milhões de euros num leilão, anunciou a casa de leilões Sotheby's na quinta-feira (25/03), em Paris. Trata-se da obra Scène de rue à Montmartre, exibida em público pela primeira vez desde sua criação em 1887, depois de um século na mesma coleção.

O quadro foi adquirido por 13,09 milhões de euros, bem acima da estimativa que girava entre 5 milhões a 8 milhões de euros, comunicou a Sotheby's. O preço da venda é um recorde para uma obra de Van Gogh vendida na França.

A tela foi a grande sensação do leilão transmitido ao vivo de Paris, reunindo outras 32 obras de mestres como Edgar Degas, René Magritte, Paul Klee, Auguste Rodin e Camille Claudel. Outro destaque foi a venda de uma obra recentemente restaurada de Camille Pissarro, La récolte des pois (A colheita de ervilhas), por 3,38 milhões de euros. A obra foi originalmente encomendada pelo irmão de Van Gogh, Theo.

Quadro Scène de rue à Montmartre (Cena de rua em Montmartre) de Vincent Van Gogh

Pintada em 1887, "Scène de rue à Montmartre" foi adquirida por uma família francesa por volta de 1920

Guinada no estilo do mestre holandês

Cena de rua em Montmartre, uma das mais de 200 pinturas produzidas pelo mestre pós-impressionista holandês durante sua estada de dois anos em Paris, faz parte de uma série sobre o Moulin de la Galette, um moinho em Montmartre, quando a região era apenas um lugarejo na periferia norte da capital, e consistia de duas partes: uma mais urbanizada, com os famosos cabarés, e uma mais rural, com hortas e moinhos.

Na tela a óleo, um casal passeia e duas crianças brincam em frente a uma cerca de madeira e árvores desfolhadas, retratadas nos tons castanhos e bronzeados característicos da "paleta holandesa" de Van Gogh, pontuada por uma bandeira vermelha reluzente no topo do moinho.

O período marcou uma guinada na carreira de Van Gogh, quando ele começou a explorar técnicas expressionistas e novos usos de cores. Pintada em 1887, três anos antes do suicídio de Van Gogh em 1890, aos apenas 37 anos de idade, Cena de rua em Montmartre não é considerado um de seus melhores trabalhos.

Especialistas tinham conhecimento da obra, mas ela só fora catalogada como uma fotografia em preto e branco, antes de ser adquirida por uma família francesa por volta de 1920. Esta semana, ela foi colocada em exibição pública pela primeira vez em 135 anos.

"As pinturas da série Montmartre são raras: é muito provável que atraia muito interesse de compradores privados, dos principais colecionadores de Van Gogh em todo o mundo e provavelmente de instituições também", comentou Aurélie Vandevoorde, diretora de arte impressionista e moderna da Sotheby's em Paris, antes do leilão.

A identidade do comprador não foi divulgada, mas Claudia Mercier, leiloeira da casa de leilões Mirabaud Mercier, que foi contratada pelos donos do quadro, afirmou que a obra foi examinada pelo Museu Van Gogh de Amsterdã, o qual "demonstrou grande interesse".

pv (AP, AFP, EFE)

Leia mais