Morre lendário agente duplo George Blake | Notícias internacionais e análises | DW | 26.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Morre lendário agente duplo George Blake

Ex-espião ficou famoso na Guerra Fria ao entregar à KGB o nome de centenas de agentes ocidentais. Ele morreu aos 98 anos na Rússia, onde vivia desde a fuga de uma prisão britânica.

George Blake em 2001

George Blake em 2001: espião britânico colaborou com a KGB

George Blake, lendário espião britânico que trabalhou como agente duplo para a União Soviética, morreu na Rússia aos 98 anos, informaram neste sábado (26/12) as agências de notícias russas.

Como agente do serviço de inteligência britânico MI6, Blake denunciou centenas de agentes ocidentais para a soviética KGB na década de 1950. Seu caso se tornou um dos mais notórios durante a Guerra Fria.

Nascido em Rotterdam, na Holanda, em 1922, Blake juntou-se à resistência holandesa na Segunda Guerra Mundial antes de fugir para o Reino Unido em janeiro de 1943. Depois de servir na Marinha britânica, ele ingressou no MI6 em 1944.

Depois de servir três anos em Hamburgo, ele foi enviado à Coreia para coletar informações sobre a comunista Coreia do Norte, a China comunista e o Extremo Oriente soviético. Ele foi capturado e preso em 1950, quando soldados norte-coreanos capturaram Seul durante a Guerra da Coreia.

Ele retornou ao Reino Unido em 1953 após sua libertação e foi enviado para Berlim Oriental dois anos depois. Blake coletou informações sobre espiões soviéticos, mas também passou segredos para Moscou sobre as operações britânicas e americanas.

Denunciado na década de 60

Blake foi denunciado como agente duplo em 1961 e condenado a 42 anos de prisão. Ele escapou da prisão cinco anos depois usando uma escada feita de cordas e com a ajuda de três companheiros de cela, fugindo para a União Soviética, onde viveria pelo resto da vida.

Blake, que atendia pelo nome russo de Georgy Ivanovich, foi premiado com o posto de coronel pelo serviço de inteligência russo, do qual recebia uma aposentadoria. O presidente russo, Vladimir Putin, ele próprio ex-agente da KGB, concedeu-lhe uma medalha em 2007.

Putin expressou suas "profundas condolências" à família e aos amigos de Blake. "A memória dessa pessoa lendária será preservada para sempre em nossos corações", escreveu o líder russo em uma mensagem de condolências no site do Kremlin.

MD/afp/rtr

Leia mais