Boris Johnson ameaça dar calote na UE | Notícias internacionais e análises | DW | 09.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

União Europeia

Boris Johnson ameaça dar calote na UE

Favorito à sucessão da premiê britânica, Theresa May, político propõe reter o dinheiro que Londres deve a Bruxelas até que a UE melhore as condições para a saída do Reino Unido.

Ex-ministro do Exterior britânico Boris Johnson

Ex-ministro do Exterior britânico Boris Johnson

O ex-ministro britânico do Exterior, Boris Johnson, favorito para se tornar o próximo primeiro-ministro, sucedendo Theresa May à frente do governo do Reino Unido, ameaçou não pagar a fatura do Brexit enquanto a União Europeia (UE) não aceitar melhorar as condições da saída do Reino Unido do bloco europeu.

"Nossos amigos e parceiros têm que entender que o dinheiro será retido até que tenhamos mais clareza sobre o caminho a seguir", disse Johnson em entrevista publicada neste domingo (09/06) pelo jornal The Sunday Times.

"Para obter um bom acordo, o dinheiro é um excelente solvente e um ótimo lubrificante", acrescentou, em suas primeiras declarações após anunciar sua intenção de concorrer ao cargo de primeiro-ministro. Na entrevista, Johnson também insinuou que recusaria o acordo de fronteira com a Irlanda.

Johnson é o favorito suceder a primeira-ministra Theresa May, que renunciou oficialmente como líder do Partido Conservador na sexta-feira. Ela continua no cargo até um substituto ser escolhido, um processo que deve ser completado no final de julho. Johnson afirmou que é o único candidato que pode enfrentar o líder da oposição trabalhista, Jeremy Corbyn, e o populista pró-Brexit Nigel Farage.

Atualmente, 11 membros do Parlamento pretendem concorrer para substituir May. O líder do partido, que ganhou a maior quantidade de assentos nas eleições de 2017, se tornará automaticamente o novo chefe de governo britânico. Entre os candidatos, estão o ministro do Exterior, Jeremy Hunt, e o do Interior, Sajid Javid.

Rejeitado pelo Parlamento britânico, o acordo firmado entre Londres e Bruxelas prevê que o Reino Unido pague à UE em torno de 44 bilhões de euros.

Na semana passada, o presidente dos EUA, Donald Trump, recomendou que o Reino Unido não pague o que deve à UE. Ele também apoia Johnson como candidato à sucessão de May.

MD/lusa/ap

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais