RENAMO denuncia tentativa de atentado contra Manuel de Araújo | Moçambique | DW | 28.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

RENAMO denuncia tentativa de atentado contra Manuel de Araújo

A RENAMO diz que um suposto agente da Polícia moçambicana na Zambézia infiltrou-se na caravana do maior partido da oposição para atentar contra a segurança do cabeça-de-lista Manuel de Araújo. PRM não comenta a denúncia.

A Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) denunciou um caso insólito ocorrido durante a campanha para as eleições autárquicas em Quelimane. Esta quinta-feira (27.09), no mercado de Namuinho, um dos bairros periféricos da autarquia de Quelimane, um alegado agente da Polícia da República de Moçambique (PRM) na Zambézia ter-se-á infiltrado na caravana do maior partido da oposição para, alegadamente, atentar contra a segurança de Manuel de Araújo.

Segundo o porta-voz da RENAMO, Latifo Charifo, o alegado agente foi rapidamente neutralizado por seguranças particulares do candidato. Manuel de Araújo confirma o sucedido, mas sem avançar muitos detalhes. "Decidi não entrar em assuntos que não têm que ver com o corpo da campanha, essa é a minha estratégia. Estou concentrado na campanha", declarou.

Ouvir o áudio 02:29
Ao vivo agora
02:29 min

RENAMO denuncia tentativa de ataque contra Manuel de Araújo

Latifo Charifo, que também é porta-voz da campanha eleitoral em Quelimane, diz que a ameaça contra a segurança de Araújo teve como promotor um agente da PRM, que se infiltrou no grupo dos apoiantes da RENAMO com objetivos ainda desconhecidos. "Durante a campanha, verificamos um movimento estranho de um indivíduo. Descobrimos que é um polícia vindo de Milange, que foi recolhido pelo nosso pessoal de segurança, que o levou até ao posto policial de Namuinho", esclareceu.

"Nunca aconteceu isso em nenhuma campanha, um polícia vestido à paisana aparecer na caravana da RENAMO", sublinha Latifo Charifo. "Temos brigadas em todos os bairros dos cinco postos administrativos desta cidade, ele simplesmente aparece onde vai o nosso cabeça de lista e isso deixa-nos indignados".

RENAMO dispensou proteção policial

O porta-voz da RENAMO considera que a neutralização do suposto agente foi "uma sorte". Segundo Charifo, o partido dispensou a proteção policial na campanha porta a porta desta quinta-feira, alegadamente porque não havia necessidade, uma vez que  não houve comício.

"Precisamos de protecção quando é caravana, mas quando é porta a porta não precisamos de proteção porque não há euforia dos eleitores", justifica.

A polícia, que não foi contactada pela RENAMO para vigiar a ação de campanha, não comenta a denúncia, afirmando apenas que, desta forma, é difícil fazer o controlo. "Quando surgem situações, é difícil controlar porque as atividades todas deviam ser desencadeadas com a presença da polícia", explica o porta-voz da PRM, Miguel Caetano.

Para Latifo Charifo, a campanha eleitoral da RENAMO na cidade de Quelimane está ameaçada. "Já vimos episódios deste género em algumas províncias que terminaram em tragédia", recorda o porta-voz.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados