Nove mortos em ataque da Al-Shabab a hotel na capital da Somália | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 01.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Nove mortos em ataque da Al-Shabab a hotel na capital da Somália

Um atentado suicida levado a cabo no domingo por membros do grupo terrorista Al-Shabab fez nove mortos e mais de dez feridos num hotel em Mogadíscio, capital da Somália, onde decorria uma conferência da oposição.

Um carro armadilhado explodiu no início da noite de domingo (31.01) em frente ao Hotel Afrik, em Mogadíscio, seguindo-se um tiroteio entre militantes do grupo radical Al-Shabaab e as forças de segurança no Hotel Afrik, onde os combates se prolongaram até ao início desta segunda-feira (01.02).

As forças de segurança puseram fim ao ataque da organização ligada à Al-Qaeda, anunciou um porta-voz da polícia. "A operação terminou. Nove pessoas, incluindo quatro atacantes, morreram e mais de 10 civis ficaram feridos. Não há eletricidade", disse Sadik Ali aos jornalistas.

No momento do ataque, o hotel, localizado na estrada que leva ao aeroporto internacional de Mogadíscio, acolhia uma conferência política na qual candidatos da oposição iriam debater as próximas eleições gerais, que deverão ser realizadas a 6 de fevereiro.

O político da oposição Farhan Nur, que estava entre os resgatados, disse  que "o inimigo planeou o ataque para eliminar" quem estava na reunião.

De acordo com a AFP, foi registada uma outra explosão na capital somali, ao final da tarde, depois de um carro a alta velocidade ter atingido a entrada do hotel.

Somalia Anschlag auf Hotel Afrik in Mogadischu

Pessoas em fuga numa rua perto do Hotel Afrik, em Mogadíscio

Mogadíscio é alvo frequente da Al Shabab

Num portal pró-Al-Shabab, o grupo reivindicou o ataque, publicando uma mensagem a alegar que tinham membros "a participar numa operação em curso dentro do hotel Afrik".

O grupo Al-Shabab, que se opõe ao Governo da Somália, pretende a imposição da lei islâmica sharia, tendo feito vários ataques na região e no país, incluindo no vizinho Quénia.

Em 14 de outubro de 2017, o grupo explodiu um camião na capital somali e provocou a morte a mais de 500 pessoas.

O grupo extremista reclamou ainda ter planeado um ataque a um complexo de luxo na capital do Quénia, Nairobi, que matou 21 pessoas em janeiro de 2019.

Em março do mesmo ano, pelo menos 32 pessoas morreram durante um ataque com um camião-bomba em Mogadíscio.

Leia mais