Moçambique: Grave acidente rodoviário mata e fere em Nampula | Moçambique | DW | 06.07.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Grave acidente rodoviário mata e fere em Nampula

Pelo menos 4 pessoas morreram e 48 ficaram feridas num acidente perto de Monapo, província de Nampula. Em Moçambique, os acidentes de viação continuam a causar dor e luto. A polícia mostra-se preocupada.

Estrada moçambicana (foto simbólica)

Estrada moçambicana (foto simbólica)

O acidente que ocorreu esta terça-feira (05.07) é já considerado o mais pesado neste corrente ano . O Hospital Central de Nampula diz que dos 48 feridos, 14 estão internados e em tratamento intensivo, mas já fora do perigo. A polícia aponta o excesso de velocidade como causa mais provável e manifesta preocupação com o aumento dos acidentes. 

Após o sinistro ocorrido há um ano em Maluana, distrito da Manhiça, o mais grave de sempre nas estradas moçambicanas, que fez 32 mortos, mais um acidente rodoviário volta a fazer vítimas mortais e feridos. Desta vez o acidente ocorreu no posto administrativo de Netia, distrito de Monapo, na província de Nampula, envolvendo um autocarro de passageiros que fazia o trajeto Pemba-Maputo.

Mosambik Nampula | Zacarias Nacute, Sprecher der Polizei

Zacarias Nacute, porta-voz da polícia em Nampula: "O aumento dos sinistros preocupa as autoridades"

Polícia aponta para excesso de velocidade

Em conferência de imprensa esta quarta-feira (06.07), Zacarias Nacute, porta-voz da Polícia moçambicana em Nampula, explicou que o acidente resultou de um choque de um ligeiro contra um obstáculo fixo e a viatura rebentou um dos pneus do lado direito.

"Daquilo que se pode apurar no local, constatou-se que havia dois óbitos, 16 feridos graves e 32 feridos ligeiros e um dano avultado na viatura envolvida no acidente. Foi apontada como a causa do acidente a velocidade excessiva, e o motorista foi uma das vítimas mortais", disse ainda o porta-voz da polícia ao repórter da DW África.

Os sinistrados foram levados para os hospitais distritais de Monapo e central de Nampula. Dalva Khossa, médica e porta-voz do Hospital Central de Nampula, disse que a unidade sanitária recebeu apenas 38 feridos. Destes, 14 estão internados e em tratamento intensivo, mas fora de perigo.

"Aqui no hospital tivemos duas mortes hospitalares, que foram doentes que chegaram sem vida e uma morte intra-hospitalar, que eu vou pedir a algum familiar que tenha tido alguém durante essa viagem para vir identificar o corpo. Tivemos 38 feridos, 14 estão internados na enfermaria de neurocirurgia, falo de ligeiros a moderados e a maioria está na ortopedia, mas todos esses fora do perigo e estáveis", disse Dalva Khossa.

Mosambik Nampula | Dalva Khossa, Sprecherin des Zentralkrankenhauses

Dalva Khossa: "Grande parte dos nossos pacientes nos serviços intensivos são vítimas de acidentes rodoviários"

Testemunha: "Fomos projetados uns 200 metros" 

Fabião Khossa, cobrador do autocarro e um dos sobreviventes, está a receber tratamento intensivo na maior unidade sanitária do norte de Moçambique. Contou à DW que o autocarro levava 53 ocupantes e seguia a marcha sem velocidade excessiva.

Fabião Khossa lembrou: "Rebentou o pneu de frente e o motorista não conseguiu estabilizar o carro. À frente vinha um carro e ao lado uma ponte e fomos projetados uns 200 metros. O meu motorista morreu na hora e eu fiquei entalado, e alguns passageiros perderam a vida no local".

Em Nampula, só nos primeiros seis meses deste ano, pelo menos 30 pessoas morreram e 99 contraíram ferimentos, vítimas de acidentes de viação. A situação preocupa as autoridades policiais e de saúde.

Dalva Khossa lamentou e deixou um apelo às autoridades: "Os acidentes de viação estão sendo ainda a nossa primeira causa de internamento intra-hospitalar, então chamamos atenção a todos os automobilistas para terem mais atenção na condução".

Atenção, mototáxi!

Leia mais