Covid-19: Moçambicanas participam de testes de vacina para grávidas | Moçambique | DW | 19.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Covid-19: Moçambicanas participam de testes de vacina para grávidas

Moçambique e outros oito países foram incluídos no estudo das farmacêuticas. Testes avaliarão a segurança das vacinas e se os bebés receberam anticorpos das mães, que têm risco acrescido de desenvolverem Covid-19 grave.

Symbolbild Schwangerschaft Bauch Frau Baby

Foto ilustrativa

O fabricante de medicamentos Pfizer e sua parceira alemã BioNTech iniciaram um estudo em nove países para testar a segurança e eficácia de sua vacina contra Covid-19 em mulheres grávidas.

As empresas afirmaram quinta-feira (18.02) que as primeiras voluntárias receberam vacinas no estudo, que teve inscrição de cerca de 4 mil mulheres grávidas saudáveis com 18 anos ou mais.

Foram incluídas mulheres dos Estados Unidos, Canadá, Argentina, Brasil, Chile, Moçambique, África do Sul, Espanha e Reino Unido.

William Gruber, chefe de investigação e desenvolvimento clínico de vacinas da Pfizer, afirmou que "as mulheres grávidas têm um risco acrescido de complicações e de desenvolverem Covid-19 grave", e "é fundamental que desenvolvamos uma vacina que seja segura e eficaz" para elas.

O estudo avaliará os efeitos sobre os bebés durante cerca de seis meses, verificando a sua segurança e se receberam anticorpos potencialmente protetores das suas mães.

Assistir ao vídeo 06:58

Maputo: como é o trabalho dos flanelinhas?

Leia mais