Covid-19: Berlim decreta encerramento de bares e restaurantes | NOTÍCIAS | DW | 10.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Covid-19: Berlim decreta encerramento de bares e restaurantes

O recolher obrigatório aplica-se a todos os estabelecimentos comerciais, exceto farmácias e estações de serviço, e estará em vigor até fim do mês. Alemanha ultrapassa 4.700 infeções diárias, maior número desde abril.

Berlim decretou, a partir deste sábado (10.10), o encerramento de bares e restaurantes entre as 23:00 e as 06:00, para fazer face ao aumento de infeções de covid-19 na capital alemã.

A venda de bebidas alcoólicas nas estações de serviço ou supermercados será proibida a partir das 23:00.

"Este não é o momento para fazer festas”, justificou, no início da semana, o autarca de Berlim, Michael Müller. "Podemos e queremos evitar um novo confinamento”, frisou, dirigindo-se particularmente à faixa etária entre os 20 e os 40 anos.

A associação de bares de Berlim considerou o encerramento noturno "desastroso” e está a ponderar questionar a decisão em tribunal.

A vida noturna de Berlim é uma componente essencial da economia da capital alemã, onde estão registados mais de 1.700 bares e perto de 6.000 restaurantes, segundo o instituto Statista.

Esta sexta-feira (09.10), após uma reunião com os responsáveis das 11 principais cidades do país, a chanceler Angela Merkel sublinhou que os centros urbanos são o principal foco de preocupação, tendo em conta a evolução de casos registada em Berlim e Frankfurt. Angela Merkel alertou ainda para o perigo de um “descarrilamento no controlo” e assinalou a necessidade de recuperar esse controlo para evitar uma paralisação da atividade económica e escolar.

Zonas de risco

A situação pandémica na capital é preocupante, com uma taxa de incidência superior a 50 novas infeções em cada cem mil habitantes há vários dias, o que coloca Berlim nas "zonas de risco”.

A autarquia dirigida pelos social-democratas decidiu também restringir fortemente os contactos sociais, proibindo ajuntamentos com mais de cinco pessoas no espaço público entre as 23:00 e as 06:00. Durante o dia, o limite está fixado em 50 pessoas.

Deutschland | Coronavirus | Sperrstunde in Berlin

Berlim ultrapassou esta sexta-feira a média de 52 infeções por 100 mil habitantes, em sete dias

Estas restrições são ainda maiores no interior, onde apenas dez pessoas podem juntar-se (em vez das 25 que estavam previstas), sendo que esta medida visa principalmente os serões em casa e as festas ilegais, que as autoridades berlinenses consideram propagadoras do vírus.

Também a cidade alemã de Frankfurt adotou uma medida semelhante, que entrou em vigor na sexta-feira à noite. Para além do encerramento de bares e restaurantes naquele período, as autoridades interditaram a venda de álcool entre as 22h00 e as 06h00.

Alemanha regista maior número desde abril

O número de novas infeções diárias por covid-19 na Alemanha ultrapassou as 4.700, o valor mais elevado desde meados de abril, segundo dados oficiais divulgados este sábado.

Em 24 horas, registaram-se 4.721 contágios de SARS CoV-2, o vírus que provoca a doença da covid-19, informou o Instituto Robert Koch (RKI), na Alemanha.

As zonas consideradas de risco, em que há mais de 50 novas infeções por 100 mil habitantes, também aumentaram. O número total de infeções no país desde o início da pandemia sobe para 319.381, com 9.604 óbitos, 15 dos quais nas últimas 24 horas.

O número de pacientes recuperados é de 273.500.

Estes números confirmam a progressão ascendente e continuada observada nas últimas semanas e especialmente nestes últimos dias.

Assistir ao vídeo 04:39

Covid-19: Aumento vertiginoso de casos na Alemanha

Leia mais