Angola: Polícia impede jornalista da DW de fazer reportagem no Huambo | Angola | DW | 31.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Polícia impede jornalista da DW de fazer reportagem no Huambo

Correspondente da DW em Angola, José Adalberto foi impedido pela polícia do Huambo de concluir uma reportagem. Sindicato dos Jornalistas Angolanos "condena obstrução ao exercício da liberdade de imprensa".

Num comunicado de imprensa enviado às redações esta segunda-feira (31.05), o Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) "condena a obstrução ao exercício da liberdade de imprensa" e refere que o jornalista José Adalberto foi "impedido de fazer a reportagem por agentes afetos à 3.ª Esquadra", no Huambo, no dia 29 de maio.

"José Adalberto foi conduzido até à esquadra quando reportava sobre o papel social das cantinas de cidadãos estrangeiros, na sequência de um telefonema de um suposto agente dos Serviços de Informação e Segurança”, lê-se no documento feito com base no relato do correspondente da DW em Angola.

A nota refere que o comandante provincial da Polícia Nacional no Huambo reconheceu que a condução do jornalista à esquadra se tratou de "excesso de zelo", acabando por pedir desculpas ao correspondente da DW, que foi libertado, apesar de impedido de concluir a reportagem. 

"O SJA manifesta-se preocupado com as reiteradas ‘incompreensões' dos agentes da Polícia Nacional sobre o trabalho dos jornalistas, e recorda que a liberdade de imprensa é um direito fundamental e que os jornalistas não carecem de autorização das autoridades para qualquer trabalho em lugares públicos, salvo as restrições impostas pela Constituição e à Lei de Imprensa", conclui a nota assinada por Teixeira Cândido, secretário-geral do SJA.

Leia mais