STF permite que Lula dê entrevistas da prisão | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 18.04.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

STF permite que Lula dê entrevistas da prisão

Tribunal havia proibido ex-presidente de falar com jornais em setembro do ano passado. Decisão ocorre na esteira de revogação de censura a sites que haviam publicado textos sobre o presidente da Corte.

Brasilien Curitiba Ex-Präsident Lula verlässt Gefängnis für Beerdigung (Reuters/R. Buhrer)

Lula em fotografia tirada em março, em uma das duas ocasiões em que deixou a prisão em Curitiba

O presidente do Supremo Tribunal Federal (SFT), Dias Toffoli, liberou nesta quinta-feira (18/04) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a dar entrevistas a veículos de comunicação que haviam pedido autorização para falar com o petista, que está preso desde abril do ano passado.

A decisão de Toffoli revogou uma suspensão determinada em setembro do ano passado pelo ministro Luiz Fux. À época, a decisão de Fux havia anulado, por sua vez, uma liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski que havia autorizado o ex-presidente a ser entrevistado pelo jornal Folha de S.Paulo. A medida também atingiu outros veículos que haviam solicitado entrevistas. O pedido para derrubar a liminar concedida por Lewandowski foi apresentado pelo Partido Novo.

O caso ocorreu em plena campanha eleitoral, quando a candidatura de Lula já havia sido barrada pela Justiça Eleitoral e o petista vinha coordenando da prisão a candidatura do seu substituto, Fernando Haddad.  À época, Fux determinou que Lula se abstivesse "de realizar entrevista ou declaração a qualquer meio de comunicação, seja a imprensa ou outro veículo destinado à transmissão de informação para o público em geral".

Fux também foi além, determinando ainda que, se alguma entrevista já tivesse sido realizada com o ex-presidente na prisão, o conteúdo deveria ter a divulgação proibida, o que foi classificado como censura prévia por entidades que representam jornalistas.

"Determino, ainda, caso qualquer entrevista ou declaração já tenha sido realizada por parte do aludido requerido, a proibição da divulgação do seu conteúdo por qualquer forma, sob pena da configuração de crime de desobediência”, disse Fux em sua decisão.

Segundo a Folha de S.Paulo, Toffoli argumentou em um despacho de duas páginas que resolveu revogar a decisão de Fux porque a ação referente à entrevista de Lula já transitou em julgado e que, por isso, "os efeitos da liminar de Fux deixaram de existir”.

Agora, o ex-presidente deve poder conceder a adiada entrevista para Folha de S.Paulo e falar com outros veículos.

A decisão tomada por Toffoli nesta quinta-feira vem na esteira de outro caso envolvendo a liberdade de imprensa.  Mais cedo, o ministro Alexandre de Moraes revogou a censura aplicada a dois sites que haviam publicado reportagens que citavam o ministro Toffoli.

Na última segunda-feira, Moraes havia ordenado que os sites O Antagonista e a revista digital Crusoé retirassem as reportagens. O caso provocou desgaste tanto para Moraes quanto para Toffoli conforme entidades que representam jornalistas, juristas e até mesmo outros membros do STF passaram a criticar a decisão.

Lula está preso desde 7 de abril de 2018 em Curitiba. Ele foi condenado em segunda instância, em janeiro do ano passado, a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo que envolve um triplex no Guarujá. O ex-presidente nega as acusações.

No início de fevereiro, ele foi novamente condenado, em primeira instância, por corrupção e lavagem de dinheiro, desta vez no processo referente a reformas realizadas num sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. No total, Lula é réu em sete ações penais e ainda enfrenta duas denúncias criminais.

JPS/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais