Quase metade dos eleitores considera votar em indicado por Lula | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 10.06.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Quase metade dos eleitores considera votar em indicado por Lula

Ao mesmo tempo, grande parte dos lulistas se mostra sem opção num pleito sem o ex-presidente, mesmo com outros representantes do partido na disputa. Se for candidato, Lula conta com apoio de 30% do eleitorado.

Lula

Lula foi condenado em 2ª instância a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há dois meses, ficar de fora da corrida presidencial deste ano, 30% dos eleitores afirmam que votariam com certeza num candidato indicado pelo petista, segundo pesquisa do instituto Datafolha divulgada neste domingo (10/06). Outros 17% disseram que talvez escolhessem o apadrinhado pelo ex-presidente.

Ao mesmo tempo, 51% afirmaram que não votariam de maneira alguma num nome indicado por Lula. A rejeição é maior, no entanto, no caso de um candidato apoiado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (65%), e chega a 92% para um indicado por Michel Temer.

Nos cenários sem Lula, apesar de muitos indicarem que votariam num candidato apoiado pelo petista, grande parte dos eleitores do ex-presidente se mostra sem opção mesmo com outros nomes do PT na corrida.

Com Fernando Haddad (PT) na disputa, 45% dos lulistas dizem que votariam em branco ou nulo ou não sabem em quem votariam. A situação é semelhante (44%) no caso do outro candidato do partido cotado para substituir Lula, Jaques Wagner.

Sem um petista no pleito, Marina Silva (Rede) é a favorita dos lulistas, com 18%, seguida de Ciro Gomes (PDT), com 15%. Dos eleitores em geral, partidários do ex-presidente ou não, 32% disseram que Lula deveria apoiar a candidatura de Ciro.

Apesar de Lula teoricamente não poder participar da disputa eleitoral deste ano – já que a Lei da Ficha limpa impede políticos condenados de se candidatar –, o PT insiste que registrará a candidatura do ex-presidente. A decisão final caberá, então, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Se a presença de Lula se concretizasse, 30% dos eleitores em geral afirmaram que votariam no petista. Jair Bolsonaro (PSL) aparece em segundo lugar, com 17%, e Marina, em terceiro, com 10%. Ciro obteve 6%, empatado com Geraldo Alckmin (PSDB). Álvaro Dias (Podemos) ficou com 4%.

Caso Haddad fosse o candidato do PT, ele aparece somente com 1% das intenções de voto dos eleitores em geral. Bolsonaro obteve 19%, seguido de Marina, com 15%.

Numa simulação com Jaques Wagner na corrida, o resultado é semelhante ao obtido no caso da disputa com a presença de Haddad: o petista obteve 1% das intenções de voto, Bolsonaro, 19%, e Marina, 14%.

No caso de uma eleição sem o PT na disputa, Bolsonaro também aparece na liderança, com 19%, seguido de Marina, com 15%.

Num segundo turno, Marina é a que tem melhores chances contra Bolsonaro, segundo os cenários simulados pelo Datafolha.

LPF/ots

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram

Leia mais