Protesto paralisa remoção de trecho do Muro de Berlim | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 01.03.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Protesto paralisa remoção de trecho do Muro de Berlim

Manifestantes conseguiram impedir, temporariamente, a retirada de 22 metros originais do muro, onde está localizada a East Side Gallery. Obra quer abrir passagem para um luxuoso empreendimento imobiliário.

Um grupo de cerca de 300 manifestantes conseguiu nesta sexta-feira (01/03) interromper a remoção de parte da East Side Gallery, o mais longo trecho preservado do Muro de Berlim e um dos pontos turísticos mais visitados da capital alemã. Com a obra, a prefeitura quer abrir passagem para a construção de um condomínio de luxo.

O plano original era retirar aproximadamente 22 metros dos cerca de 1.300 metros de muro e recolocá-los em outra área. No entanto, devido ao protesto, a equipe só conseguiu remover 1,5 metro na manhã desta sexta-feira.

"É insuportável ver essa parte do Muro ser brutalmente derrubada", disse o artista francês Thierry Noir, cuja pintura está em um dos trechos programados para serem removidos.

Às margens do rio Spree, a East Side Gallery é fruto do trabalho de cerca de 120 artistas. Alguns meses depois da abertura da fronteira entre as Berlim Ocidental e Oriental, em novembro de 1989, eles se reuniram para transformar o lado leste do Muro, que havia permanecido intocado, diferentemente do lado oeste, intensamente coberto por grafite. Eles queriam dar ao Muro uma outra cara, que representasse a nova era que estava começando, e documentaram com suas obras um tempo de euforia e grandes transformações.

Polícia ergue barricadas

"Estão demolindo um bem cultural de todos os alemães e do mundo", lamentou Rombert Muschinski, membro de uma iniciativa de moradores contra a obra. "É uma vergonha para a cidade e, neste momento, sinto vergonha de ser berlinense."

Berlin East Side Gallery Abriss

Guindaste removeu 1,5m do muro antes da paralisação

Segundo um porta-voz da polícia, a paralisação é apenas temporária e as obras serão em breve retomadas. Três pessoas foram presas durante o protesto. A polícia ergueu barricadas ao redor do Muro, depois que dezenas de representantes de grupos civis e artistas tentaram impedir um guindaste de remover partes do que é considerada a mais longa galeria a céu aberto do mundo.

A East Side Gallery é uma das grandes atrações turísticas da capital alemã, recebendo mais de um milhão de visitantes todos os anos. O trecho foi recentemente restaurado, ao custo de 2,5 milhões de euros aos cofres municipais, e é o segundo ponto mais visitado da cidade, ficando atrás apenas do Portão de Brandemburgo.

Apesar de sua popularidade, Franz Schulz, subprefeito de Friedrichshain-Kreuzberg, bairro onde se localiza a atração, declarou ao jornal Bild que as autoridades de preservação histórica deram permissão à construtora para remover parte do Muro e abrir passagem para o novo complexo de condomínios de luxo que está sendo construídos às margens do Spree.

Esta não é a primeira vez que parte da East Side Gallery sofre alterações. Há alguns anos, um trecho do Muro foi demolido em frente a uma nova arena para shows e esportes.

MAS/dpa/afp/ap
Revisão: Rafael Plaisant Roldão

Leia mais