Presença de ministro turco em evento na Alemanha gera críticas | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 02.03.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Presença de ministro turco em evento na Alemanha gera críticas

Ministro da Justiça faz campanha pela introdução do sistema presidencial na Turquia, a ser decidida em referendo. Políticos alemães criticam "busca de apoio para a criação de uma ditadura".

Bekir Bozdag, ministro da Justiça turco, fala ao microfone

Bozdag participará de evento no estado de Baden-Württemberg

A participação de um ministro do governo turco num evento político na Alemanha, nesta quinta-feira (02/03), desencadeou uma série de críticas no país, em meio à tensão diplomática causada pela prisão preventiva do jornalista teuto-turco Deniz Yücel na Turquia.

O ministro turco da Justiça, Bekir Bozdag, vai participar de um evento na cidade de Gaggenau, no estado de Baden-Württemberg, no sul da Alemanha. Segundo o partido turco AKP, do presidente Recep Tayyip Erdogan, trata-se de um evento de campanha, no qual o ministro buscará apoio para o sistema presidencial no referendo constitucional marcado para 16 de abril.

Segundo as autoridades locais, oficialmente trata-se da assembleia de constituição da sede local da União dos Democratas Euro-Turcos (UETD, na sigla original), uma organização favorável ao AKP. A Alemanha abriga a maior diáspora turca, e em torno de 1,4 milhão de pessoas poderão votar no referendo.

Políticos alemães criticaram a presença de Bozdag na Alemanha. O líder do partido A Esquerda, Bernd Riexinger, disse que o ministro turco está em busca de votos para as "fantasias totalitárias" de Erdogan. "O déspota turco está conduzindo o governo alemão pela focinheira", disse.

Riexinger acrescentou que o governo alemão não pode permitir que alguém vá à Alemanha para "buscar apoio para a criação de uma ditadura". A mesma posição foi expressada pelo líder estadual do Partido Liberal Democrático (FDP), Hans-Ulrich Rülke.

A comunidade turca na Alemanha afirmou que a presença de Bozdag na Alemanha mistura atividades governamentais e partidárias. "Não acho correto que o governo turco tente, com meios públicos, interceder a favor do AKP no exterior", disse o presidente da comunidade, Gökay Sofuoglu.

O governo estadual disse não ter sido informado sobre a presença de Bozdag e afirmou que não pode proibir a sua participação no evento. O secretário da Justiça de Baden-Württemberg, Guido Wolf, da União Democrata Cristã (CDU), também criticou a presença de um ministro do governo turco na Alemanha para fazer campanha e disse que "faria mais sentido conversar conosco sobre direitos fundamentais, Estado de Direito e liberdade de imprensa", numa alusão ao caso Yücel.

Na semana passada, o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, esteve em Oberhausen, no oeste da Alemanha, para fazer propaganda a favor da reforma constitucional.

AS/dpa/ard

Leia mais