PDT decide votar contra o impeachment de Dilma | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 13.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

PDT decide votar contra o impeachment de Dilma

Partido afirma que tirar a presidente do cargo não é a solução do problema e garante que votará unido contra o afastamento. Dos 20 deputados, 19 dizem que vão seguir orientação.

Assistir ao vídeo 03:07
Ao vivo agora
03:07 min

O passo a passo do impeachment

O PDT, que tem 20 deputados, decidiu nesta quarta-feira (13/04) votar contra o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff na votação programada para o próximo domingo na Câmara dos Deputados. A decisão foi tomada numa reunião em Brasília que terminou esta madrugada.

"O partido decidiu que lutará contra o impeachment porque a solução do problema não será apenas tirando Dilma do seu mandato. A bancada reitera que ficará do lado da democracia e não apoiaremos este golpe", disse o deputado Weverton Rocha, líder do PDT na Câmara.

Apesar das divergências, 19 dos 20 deputados confirmaram que vão seguir a orientação partidária. Rocha alertou que, se algum parlamentar votar a favor do impeachment, poderá sofrer sanções. O deputado Mário Heringer, um dos maiores críticos do governo, não participou da reunião, mas Rocha disse que a ausência dele não teve relação com a decisão.

Mesmo com o apoio do PDT, Dilma começa a ver a sua permanência no governo cada vez mais dificultada, pois várias forças políticas decidiram apoiar o impeachment. O PP, a quarta maior força política na Câmara dos Deputados, com 47 parlamentares, decidiu nesta terça-feira apoiar o processo de destituição.

Também nesta terça-feira à noite, o PRB, que conta com 22 deputados, tomou a mesma posição, depois de, em 16 de março, ter decidido abandonar o governo. Também o PMDB, do vice-presidente Michel Temer, decidiu, em 29 de março, abandonar o governo, mas nem todos os ministros do partido deixaram os seus cargos.

AS/abr/lusa

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados