Neuer ou ter Stegen, eis a questão | Colunas semanais da DW Brasil | DW | 17.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coluna Halbzeit

Neuer ou ter Stegen, eis a questão

A nove meses da Euro 2020, ainda é incerto quem será o goleiro titular da seleção alemã. Quando parecia ter chegado a hora e a vez de Marc-André ter Stegen, Manuel Neuer demonstrou estar de volta à sua melhor forma.

Marc-Andre Ter Stegen (esq.) e Manuel Neuer

Marc-Andre Ter Stegen (esq.) e Manuel Neuer

Ser goleiro na Alemanha é bom e ruim ao mesmo tempo. É bom porque em nenhum outro país do mundo se dá tanta importância a um jogador que, em vez de fazer gols, está destinado a evitá-los. Há décadas a escola alemã de goleiros forma profissionais do mais alto nível. É de dar inveja.

Por outro lado, é ruim porque normalmente há bons goleiros disponíveis no mercado em quantidade abundante. Quando o assunto é seleção nacional, a comissão técnica, via de regra, tem muitas opções. É o tipo de problema que qualquer técnico gostaria de ter, só que, nesse caso, costuma causar tensões entre os candidatos a titular na equipe principal.

Basta lembrar o episódio envolvendo a briga pela posição entre Oliver Kahn e Jens Lehmann antes da Copa do Mundo de 2006. Kahn, então chamado de "titã bávaro" e tido como um dos melhores goleiros do planeta, fazia questão de anunciar publicamente sua condição de titular da Mannschaft.

O técnico Jürgen Klinsmann, porém, tinha outros planos, e três meses antes do início do Mundial na Alemanha, comunicou ao goleirão do Bayern que o titular durante o torneio seria o seu concorrente Lehmann.

Os repórteres que estavam cobrindo a seleção alemã nunca vão esquecer a fisionomia carrancuda e a agressiva linguagem corporal de Kahn depois de ter recebido a notícia de sua degradação à condição de reserva. Testemunhas oculares dão conta que o titular do Bayern de Munique deixou a reunião e saiu do Hotel "chutando o balde".

Pano rápido, e 13 anos depois.

De volta à Barcelona, depois dos jogos da Alemanha pelas eliminatórias para a Eurocopa 2020, o jovem goleiro Marc-André ter Stegen desabafou. "A última viagem com a Mannschaft foi muito frustrante para mim. Está muito difícil achar uma explicação plausível", referindo-se à sua condição de reserva.

Sua insatisfação, verdade seja dita, não é de hoje. Há mais de um ano, antes da Copa da Rússia, Ter Stegen alimentava a esperança de ser o número 1. Havia motivos para tanto. Manuel Neuer se recuperava de uma insistente contusão no pé, enquanto Ter Stegen esbanjava competência no gol do Barcelona.

Apesar de ser preterido pelo técnico Joachim Löw na ocasião, ele manteve a compostura e se absteve de criticar o colega, que visivelmente não estava na sua melhor forma técnica e física. Mesmo na temporada pós-Copa do Mundo, especialmente no primeiro turno da Bundesliga, Neuer deixou muito a desejar. Já não defendia bolas indefensáveis, e as defensáveis vez por outra deixava passar.

Parecia que finalmente tinha chegado a hora e a vez do jovem aspirante a titular Marc-André ter Stegen, que em Barcelona é chamado de "Messi de luvas" e foi indicado pela FIFA para concorrer ao prêmio de melhor goleiro do mundo juntamente com os brasileiros Alisson e Ederson.     

Acontece que Manuel Neuer parece estar de volta à sua melhor forma. Demonstrou isso na partida da seleção contra a Irlanda do Norte e no jogo deste fim de semana contra o Leipzig pela Bundesliga. Não bastasse seu excelente desempenho, aproveitou a oportunidade para, logo depois desse confronto, alfinetar o goleiro do Barcelona: "Tenho lá minhas dúvidas se o desabafo de Ter Stegen vai acrescentar alguma coisa. Nós somos uma equipe e deveríamos fazer tudo para sermos bem-sucedidos como time. Eu sempre penso no bem-estar da Mannschaft e acho que especialmente os goleiros devem estar unidos num mesmo propósito."

Cabe agora a Löw descobrir se as palavras de Ter Stegen foram apenas o resultado de uma frustração momentânea ou se há um problema mais agudo que possa desestabilizar a harmonia no elenco.

Em Barcelona, Löw e o treinador de goleiros Köpke conversaram com Ter Stegen e lhe disseram que não lhe faltarão oportunidades para atuar como titular. Domingo último, em conversa com um repórter do jornal Welt, Köpke se manifestou sobre o assunto: "Não vejo nenhum problema com o que foi dito pelos dois. Entendo perfeitamente a insatisfação de Marc e a crítica de Manuel. Acontece que estamos muito bem servidos na posição de goleiro. O importante é que haja respeito e que consigamos formar uma equipe unida até a Euro 2020."

Faltando ainda nove meses para a competição, a comissão técnica terá tempo suficiente para conversar com os dois, colocar tudo em pratos limpos e, em tempo hábil, definir a titularidade.

Mas, cuidado! Bodo Illgner, goleiro campeão mundial em 1990, chamou a atenção para outro aspecto que precisa ser levado em consideração: "O time só terá um desempenho eficaz, se houver um bom ambiente. A criação dessa boa atmosfera é de responsabilidade da comissão técnica. Será preciso conciliar os interesses desses dois grandes goleiros em prol da Mannschaft. Caso não se alcance esse equilíbrio, acho melhor dispensar um dos dois para que fique garantida a paz no vestiário."

Neuer ou Ter Stegen, eis a questão.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Leia mais