Nasa lança missão para estudar interior de Marte | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 05.05.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Ciência

Nasa lança missão para estudar interior de Marte

Aterrissador InSight escavará fundo no planeta vermelho e medirá sismos. Informações ajudarão a entender melhor formação de Marte e origens do Sistema Solar.

Lander InSight

O aterrissador InSight em imagem divulgada pela Nasa

O aterrissador (lander) InSight da Nasa, que tem como objetivo analisar o "coração de Marte", decolou da base aérea de Vandenberg, na Califórnia, neste sábado (05/05). É a primeira vez que uma missão planetária é lançada da costa oeste dos Estados Unidos.

O foguete do tipo Atlas V 401 leva no interior um aterrissador robótico que será o encarregado de explorar o núcleo de Marte para ampliar o conhecimento sobre a formação marciana e a de outros planetas rochosos, como a Terra.

O lançamento transcorreu sem problemas às 4h05 (hora local, 8h05 em Brasília), e a previsão é que o InSight aterrisse no planeta vermelho em 26 de novembro.

Esta é a primeira vez que uma missão espacial tem como único objetivo analisar as entranhas do segundo menor planeta do Sistema Solar, depois de Mercúrio. Até agora, as missões a Marte capturaram imagens da superfície, estudaram rochas, escavaram a terra e procuraram indícios da água que um dia fluiu em Marte. O interior do planeta nunca foi observado.

"Cerca de 99% deste planeta nunca foi observado. Vamos estudá-lo com nosso sismômetro e a nossa sonda de fluxo de calor pela primeira vez", afirmou Bruce Banerdt, principal pesquisador do InSight, antes do lançamento.

O InSight irá escavar mais fundo do que qualquer outra missão a Marte, chegando a 5 metros de profundidade. O sismômetro que será instalado na superfície tentará, pela primeira vez, medir sismos em Marte.

As informações recolhidas poderão ajudar a entender por que a Terra e Marte são tão diferentes se provavelmente se originaram de maneiras similares, a 4,5 bilhões de anos.

Para o diretor de ciências planetárias da Nasa, Jim Green, esta missão planetária "fantástica" ajudará a humanidade a compreender a composição da crosta, do manto e do núcleo de Marte e dará uma ideia de como se originou o Sistema Solar.

A missão, que durará quase dois anos e percorrerá a partir de hoje os 485 milhões de quilômetros que separam a Terra de Marte, é financiada e coordenada majoritariamente pelos Estados Unidos, mas também conta com a participação de países europeus.

No total, os EUA investirão 813 milhões de dólares no projeto, enquanto Alemanha e França aportarão cerca de 180 milhões de dólares em pesquisas relacionadas.

AS/efe/ap/lusa/afp

___________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram

Leia mais