Nasa detecta possível emissão de vapor em lua de Júpiter | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 26.09.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Nasa detecta possível emissão de vapor em lua de Júpiter

Telescópio espacial Hubble captura imagens de emissões em Europa. Satélite é um dos lugares mais promissores para existência de vida fora da Terra e possui oceano coberto por camada de gelo.

Lua Europa de Júpiter

Europa é menor do que lua da Terra

A Nasa afirmou nesta segunda-feira (26/09) que detectou possíveis emissões de vapor d'água na superfície de uma das luas do planeta Júpiter. O fenômeno em Europa foi capturado em imagens pelo telescópio espacial Hubble.

Europa possui um oceano com duas vezes mais água do que todo o volume existente na Terra escondido embaixo de uma camada extremamente fria e dura de gelo, cuja espessura é desconhecida.

Assistir ao vídeo 01:17
Ao vivo agora
01:17 min

Agência Espacial Europeia comemora localização de robô em cometa

Segundo a Nasa, as imagens do telescópio mostram o que podem ser emissões de vapor d'água que emergem na superfície da lua. A descoberta aumenta as chances de que missões futuras enviadas ao satélite possam analisar seu oceano sem a necessidade de perfurar a camada de gelo. A agência americana destacou que os vapores seriam emitidos por gêiseres.

"O oceano de Europa é considerado um dos lugares mais promissores que podem potencialmente abrigar vida no sistema solar", afirmou o administrador associado interino do diretório de missões científicas da Nasa em Washington, Geoff Yoder. "Essas colunas de fumaça, se realmente existem, podem apresentar outra forma de recolher amostras abaixo da superfície de Europa", acrescentou.

As imagens mostram que as emissões atingiram uma altura de cerca de 200 quilômetros antes de voltar à superfície. O fenômeno foi detectado enquanto cientistas da equipe de William Sparks, do Instituto de Ciência Telescópica Espacial (STScI), observavam um extremo da lua enquanto ela passava diante de Júpiter.

Os pesquisadores tentavam descobrir se Europa possui uma atmosfera magra ou uma exosfera capaz de bloquear a luz emitida pelo planeta. As emissões de vapor foram detectadas em três ocasiões em 2014, próximo a região do pólo sul da lua.

Missões na lua

Caso confirmada a descoberta, Europa seria a segunda lua do sistema solar conhecida por emitir vapor d'água. Em 2005, a nave internacional Cassini, da Nasa, identificou jatos da substância sobre a superfície da lua Encélado, de Saturno.

Ligeiramente menor do que a lua da Terra, a Europa possui cerca de 3,1 mil quilômetros de diâmetro. Entre os quatro maiores dos 67 satélites de Júpiter, ela é o segundo maior mais próximo do planeta.

A Nasa planeja duas missões à Europa nas próximas décadas. Em uma delas, uma sonda, que deverá ser lançada em 2020, irá recolher amostras de materiais rentes a sua superfície.

CN/efe/lusa/rtr

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados