Lula lidera por ampla vantagem corrida eleitoral, afirma pesquisa | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 23.09.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

Lula lidera por ampla vantagem corrida eleitoral, afirma pesquisa

Ex-presidente poderia vencer já no primeiro turno se a eleição de outubro de 2022 fosse realizada um ano antes, mostra pesquisa do Ipec.

Luiz Inácio Lula da Silva

Pesquisa coloca Lula 11 pontos à frente dos adversários somados

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganharia a eleição presidencial de 2022 já no primeiro turno se ela fosse realizada hoje, afirma uma pesquisa eleitoral divulgada nesta quarta-feira (23/09) pelo instituto Ipec.

A sondagem está em linha com outra divulgada na semana passada pelo Instituto Datafolha, que também deu ampla vantagem ao líder do PT sobre o presidente Jair Bolsonaro.

O Ipec desenhou dois cenários possíveis para as eleições. No primeiro, ofereceu aos entrevistados uma lista de cinco possíveis candidatos. O mais votado seria Lula, com 48% dos votos, seguido por Bolsonaro, que receberia 23% do apoio.

Muito atrás ficaram Ciro Gomes, do PDT, com 8%, o governador de São Paulo, João Doria, do PSDB, com 3%, e o ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta, também com 3%.

Com uma diferença de 11 pontos percentuais para todos os adversários combinados, Lula seria eleito no primeiro turno.

No segundo cenário, o Ipec incluiu dez candidatos. Lula obteria então 45% dos votos, em comparação com 22% para Bolsonaro e 18% para os demais candidatos, incluindo o antigo juiz e ministro Sergio Moro, que alcançaria 5%.

Com esses resultados, o petista estaria dentro da margem de erro, que é de dois pontos, para ganhar também no primeiro turno se as eleições se realizassem hoje.

Governo Bolsonaro é mal avaliado

Lula, que foi autorizado a concorrer após a Justiça ter anulado condenações por corrupção, já disse que vai disputar a Presidência em 2022. Bolsonaro também pretende concorrer à reeleição.

Porém, a popularidade do mandatário está no pior nível desde que chegou ao poder. A taxa de desaprovação do seu governo atingiu 53%, alta de quatro pontos em relação à pesquisa divulgada em junho pelo Ipec.

Os eleitores que consideram o governo de Bolsonaro "bom" ou "ótimo" caíram para 22%, o nível mais baixo registrado este ano. Essas percentagens também são semelhantes às da sondagem Datafolha da semana passada.

A pesquisa também afirma que 69% dos entrevistados não confiam em Bolsonaro, ou dois de cada três.

O Ipec ouviu de forma presencial 2.002 pessoas em 141 municípios de todo o Brasil, entre 16 e 20 de setembro.

O Ipec foi criado por diretores que deixaram o Ibope depois do fechamento desse instituto.

as (Lusa, OTS)

Leia mais