Lula depõe no MPF sobre suposto tráfico de influência | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 15.10.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Lula depõe no MPF sobre suposto tráfico de influência

Em depoimento voluntário, ex-presidente nega interferência no BNDES e afirma que procurou ampliar oportunidades de empresas brasileiras no exterior para gerar empregos e divisas para o Brasil.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou depoimento nesta quinta-feira (15/10) ao Ministério Público Federal (MPF), em Brasília, sobre o suposto de tráfico de influência em contratos da empreiteira Odebrecht no Brasil e no exterior.

Em sua declaração, Lula argumentou que "todos os presidentes e ex-presidentes do mundo inteiro defendem as empresas de seus países no exterior", afirmou o comunicado do Instituto Lula que ressaltou que o petista prestou o depoimento voluntariamente.

Segundo as investigações, Lula é suspeito de facilitar negócios da Odebrecht com países estrangeiros por meio de financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A empreiteira está sendo investigada por escândalos de corrupção na Petrobras e em outros países da América Latina e África.

De acordo com o Instituto Lula, o ex-presidente afirmou no depoimento que nunca interferiu em contratos entre BNDES e empresas privadas, mas disse que "sempre procurou ampliar as oportunidades de divulgação dessas companhias no exterior, com vistas à geração de empregos e de divisas para o Brasil".

Em julho, o MPF abriu uma investigação formal contra Lula pelo suposto tráfico de influência em favor da empreiteira. A Odebrecht teria custeado diversas viagens do petista ao exterior, sobretudo a países da África e da América Latina, como Cuba e Angola, depois que ele deixou o Planalto.

CN/efe/abr

Leia mais