Hamburgo tem mostra permanente sobre os Beatles | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 06.06.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Hamburgo tem mostra permanente sobre os Beatles

A cidade portuária que serviu de plataforma para o sucesso mundial da banda assume sua relevância na história dos "fab fours". Mostra "Beatlemania" enfoca a passagem dos Beatles pela Alemanha no início dos anos 1960.

default

Submarino amarelo, símbolo do novo museu

Há quem diga na Alemanha que o único defeito dos Beatles era ser uma banda alemã que cantava em inglês. Exageros à parte, pois é sabido que John Lennon, Paul Mc Cartney, George Harrison e Ringo Starr nasceram em Liverpool, na Inglaterra, verdade é que a cidade alemã de Hamburgo é realmente fundamental na biografia do grupo britânico. O próprio John Lennon foi um dos que se pronunciou com bastante clareza a respeito: "Eu cresci em Liverpool, mas foi em Hamburgo que me tornei adulto".

Desde 29 de maio último, os fãs da banda e apreciadores de sua música têm a chance de visitar em Hamburgo a mostra Beatlemania, um evento que conta, com muitos detalhes, o especial capítulo da passagem do quarteto pela Alemanha no início dos anos 1960. Uma época remota, em que o grupo tinha como integrantes além de John, Paul e George, dois outros músicos, o baixista Stuart Sutcliffe (que, aliás, morreu em Hamburgo em abril de 1962) e o baterista Pete Best, que viria a ser substituído, ainda em Hamburgo, por Ringo Starr.

Beatlemania Museum

Lennon & cia. tocaram em Hamburgo

Sediada no ex- Hamburger Erotic Art Museum, um moderno prédio de cinco andares que foi alugado pela firma FKP de Folkert Koopmans, a exposição reúne diversas raridades e artigos da memorablia do grupo, num local que fica a poucos metros da Praça dos Beatles: bem no centro da Reeperbahn, a zona de meretrício de Hamburgo. Um submarino amarelo inflável de dez metros sinaliza, à entrada do edifício, onde começa a viagem musical no tempo.

O big-bang dos besouros

Os visitantes de Beatlemania vão se deparar com peças de inestimável valor, como o primeiro contrato assinado pelo grupo para a gravação de um disco. O acordo foi firmado com o músico e produtor alemão Bert Kaempfert. Cartões postais enviados pelos músicos e fotos até então inéditas dos Beatles também fazem parte da mostra, assim como produtos que vieram a ser lançados posteriormente, quando a banda já gozava de fama internacional.

Beatlemania Museum

Instrumentos originais do grupo expostos no museu

Algumas das casas noturnas de Hamburgo em que os Beatles tocaram tiveram suas fachadas reconstruídas dentro do novo museu, dentre elas as do Top Ten, Kaiserkeller e o cabaré Indra. Lugares nos quais os músicos chegaram a tocar por mais de dez horas seguidas, quase que diariamente, durante dois anos, para ganhar, cada um, o cachê semanal de 35 marcos.

Quem gosta de cantar pode gravar sua interpretação de uma música dos Beatles num estúdio de karaokê e levá-la para casa, ou quem sabe colocar seu rosto no painel que reproduz a capa do disco Sargent Pepper's Lonely Hearts Club Band, clássico de 1967 da discografia flower power. Nela aparecem diversas personalidades ao lado dos Beatles, dentre elas Bob Dylan, Albert Einstein, Karl Marx e Marlene Dietrich.

Já as crianças podem entrar em um submarino e apreciar quadros originais do desenho animado Submarino Amarelo, de George Dunning, levado às telas de cinema em 1968.

Maior fenômeno da música pop

Num dos 12 espaços temáticos espalhados pelos 1.300 metros quadrados ocupados pela mostra está uma sala multimídia em que os visitantes podem experimentar a sensação que era assistir aos Beatles no auge da carreira. Antes de as cortinas do "cinema" se abrirem, uma voz em off anuncia a entrada da banda no palco. Projetores começam a lançar nas paredes da sala imagens da platéia histérica que estava no concerto no Shea Stadion, em Nova York, um impressionante concerto que atraiu 50 mil espectadores.

Beatlemania custou à iniciativa privada cerca de dois milhões de euros. Seus organizadores estimam que 250 mil visitantes passem pela bilheteria do museu a cada ano para ver de perto a mostra que levou mais de dois anos para ser montada.

BdT Deutschland Beatles Museum auf der Reeperbahn

Capas de discos fazem parte do acervo do museu

Além desta exposição e da Praça dos Beatles, inaugurada em setembro de 2008, os fãs de Lennon, Harrison, Mc Cartney e Starr podem contar também agora com uma Beatles Tour Hamburg, organizada pelo produtor de shows Peter Paetzold e o canadense David Hanowski. Trata-se de um giro turístico guiado (nos idiomas alemão e inglês) pelas ruas da Reeperbahn, passando pelos lugares em que os Beatles estiveram naquela temporada de "vacas magras" que o quarteto amargou de 1960 a 1962. O passeio é inspirado na Magical Mistery Tour que existe em Londres há muitos anos.

O giro de duas horas pela Reeperbahn começa nas escadas que levavam ao legendário Star Club para terminar numa descontraída mesa redonda num bar da região, onde os guias e convidados especiais prometem esclarecer tudo sobre o passado da famosa banda, que decolou para o estrelato depois de comer o pão que o diabo amassou nas ruas de Hamburgo.

Autor: Felipe Tadeu

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais