1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Vietnam Folgen des Agent Orange Einsatzes
Um policial vietnamita vigia a área da antiga base americana de Bien Hoa. Solo do local sofreu intensa contaminação durante a participação americana na Guerra do VietnãFoto: picture-alliance/AP Images/Kham
Sociedade

EUA vão descontaminar antiga base no Vietnã

21 de abril de 2019

Área perto da antiga Saigon armazenou tanques de agente laranja, o notório desfolhante usado pelas tropas americanas durante a Guerra do Vietnã. Operação para limpar o solo é avaliada em mais de 180 milhões de dólares.

https://www.dw.com/pt-br/eua-v%C3%A3o-descontaminar-antiga-base-no-vietn%C3%A3/a-48424883

Os EUA anunciaram no sábado (20/04) o início de uma operação de limpeza ao custo 183 milhões de dólares em uma antiga base no Vietnã. O local servia de armazenamento para galões do agente laranja, um desfolhante altamente tóxico que foi largamente usado pelas tropas americanas durante a Guerra do Vietnã. Décadas depois do conflito, o agente ainda é apontado como causa de graves defeitos congênitos e câncer entre a população do país asiático.

Agent Orange Einsatz Vietnam 1966
Aviões americanos borrifando agente laranja sobre a selva vietnamita com o objetivo de expor tropas inimigasFoto: picture-alliance/dpa

Localizada nas cercanias da cidade de Ho Chi Minh (antiga Saigon), a base aérea de Bien Hoa foi um dos principais depósitos do agente laranja usados pelos americanos e não foi alvo de nenhuma operação de descontaminação significativa quando os americanos abandonaram o conflito e se retiraram do antigo Vietnã do Sul, há mais de 40 anos.

As forças norte-americanas pulverizaram 80 milhões de litros de agente laranja sobre o Vietnã entre 1962 e 1971, para tentar conter e derrotar os guerrilheiros comunistas do Norte que agiam no Vietnã do Sul, privando-os de cobertura florestal e alimentos.

Acredita-se que parte do material na base de Bien Hoa atingiu o lençol freático e reios da região, provocando má formação física e mental em várias gerações de vietnamitas. O governo do país aponta que milhões de pessoas foram severamente contaminadas pelo agente, incluindo 150 mil crianças que nasceram com defeitos congênitos após o conflito.

A Agência para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (Usaid) estima que 500 mil metros cúbicos de dioxina penetraram o solo na área da base. A quantidade é quatro vezes maior do que o volume limpo na antiga base área de Danang, também utilizada pelos americanos no conflito, e cuja descontaminação custou 110 milhões de dólares e seis anos de esforços, finalmente concluídos em novembro.

"O fato de dois ex-inimigos estarem fazendo parcerias em uma tarefa tão complexa não é nada menos do que histórico", disse o embaixador dos EUA no Vietnã, Daniel Kritenbrink, no sábado de manhã, em um evento que contou com a presença de militares vietnamitas e senadores dos EUA.

As associações de vítimas vietnamitas reivindicam há anos compensações econômicas das empresas e do governo dos EUA, mas até o momento não tiveram sucesso em suas tentativas judiciais.

Enquanto isso, os veteranos americanos que sofreram sequelas pela sua exposição ao Agente Laranja recebem uma substancial compensação financeira do governo. Já as vítimas vietnamitas sobrevivem com esquálidas pensões miseráveis, muitas vezes sob cuidados de familiares em tempo integral.

Uma tentativa das vítimas vietnamitas para obter indenização dos Estados Unidos teve pouco sucesso. Em 2009, a Suprema Corte dos EUA recusou-se a aceitar o caso.

JPS/npr/ots

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter