EUA retiram Brasil de lista de países em desenvolvimento | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 11.02.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Economia

EUA retiram Brasil de lista de países em desenvolvimento

Medida pode restringir benefícios comerciais e abrir margem para que governo americano imponha barreiras contra produtos brasileiros. Outros 18 países são afetados, entre eles, Argentina, Índia e África do Sul.

Bolsonaro e Trump apertam as mãos em entrevista coletiva no jardim da Casa Branca

Nos EUA, Bolsonaro aceitou abir mão de status de país em desenvolvimento na OMC por apoio à entrada do Brasil na OCDE

O Departamento de Comércio dos EUA anunciou nesta segunda-feira (10/02) uma nota informando ter retirado o Brasil da lista de países considerados em desenvolvimento. A medida pode restringir benefícios comerciais dados aos países que constam da lista.

Além do Brasil, mais 18 países foram afetados, entre eles, Argentina, Índia, África do Sul e Colômbia, segundo nota do governo americano. Eles deixarão de receber tratamento diferenciado, como prazos mais longos para implementação de acordos comerciais e vantagens tarifárias.

A determinação abre margem para que os EUA imponham retaliações a produtos de países antes protegidos pelo status de nação em desenvolvimento, caso seja comprovado que essas nações subsidiam produtos acima de um determinado limite.

O principal objetivo do governo dos EUA, segundo a nota, é reduzir o número dos países em desenvolvimento que poderiam receber tratamento especial sem serem afetados por barreiras contra seus produtos.

O texto informa que a decisão considera "fatores econômicos, comerciais e outros, incluindo o nível de desenvolvimento econômico [...] e a participação de um país no comércio mundial". O Departamento de Comércio frisou também que a medida foi motivada por pedidos de adesão à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Durante a visita de Jair Bolsonaro a Washington em março passado, o presidente brasileiro aceitou abrir mão de status de país em desenvolvimento na Organização Mundial do Comércio (OMC) em troca do apoio dos EUA à entrada do Brasil na OCDE.

Além disso, também levou em conta o fato de um país ser membro do G20, grupo composto pelo Brasil e mais 18 nações, além da União Europeia (UE) . "Dada a importância econômica global do G20 e o peso econômico coletivo [...], ser membro do G20 indica que um país é desenvolvido", diz o texto da decisão.

MD/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais