1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto: A. Gelbard/AFP/Getty Images

"Estado Islâmico" chama autores do atentado de heróis

8 de janeiro de 2015

Comunicado transmitido por emissora ligada ao grupo jihadista elogia terroristas por "vingar o profeta Maomé" em ataque ao semanário francês "Charlie Hebdo".

https://p.dw.com/p/1EHaZ

A estação de rádio da organização terrorista "Estado Islâmico" (EI) chamou nesta quinta-feira (08/01) de "heróis" os responsáveis pelo atentado ao semanário satírico Charlie Hebdo, no qual morreram 12 pessoas na quarta-feira, em Paris.

"Heróis jihadistas mataram 12 jornalistas que trabalhavam para a revista francesa Charlie Hebdo e feriram mais de dez pessoas para vingar o profeta [Maomé]", disse o comunicado lido na rádio Al-Bayan. Na verdade, os jornalistas mortos foram oito.

Dos três suspeitos do atentado, o jovem Hamyd Mourad, de 18 anos, apresentou-se em Charleville-Mézieres, cerca de 230 quilômetros ao norte de Paris. Mourad disse ter visto seu nome "circulando nas redes sociais" e afirma ser inocente. Ele não foi identificado em nenhum dos vídeos que registraram o ataque, mas é suspeito de cumplicidade.

Apesar do comunicado, nenhuma organização terrorista reivindicou a autoria do massacre. Testemunhas em Paris, relataram que os fugitivos Said e Cherif Kouachi, de 34 e 32 anos, gritaram: "Diga à imprensa que essa é a Al Qaeda no Iêmen".

Os irmãos Kouachi, que aparecem encapuzados numa gravação de vídeo fora do prédio, executando um dos policiais, seguem sendo caçados pela polícia francesa, incluindo a unidade antiterrorista da polícia francesa (Raid) e a unidade de operações paramilitares especiais (GIGN). Até agora, sete pessoas foram presas durante as buscas pela dupla.

PV/afp

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado