Daniel Martins quebra recorde mundial e fatura ouro nos 400m | Rio 2016 | DW | 09.09.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Rio 2016

Daniel Martins quebra recorde mundial e fatura ouro nos 400m

Velocista domina prova na categoria T20, para deficientes intelectuais, e comprova sua soberania nessa distância. Há apenas três anos no atletismo, paulista detém a melhor marca e é também o atual campeão mundial.

Daniel Martins entre os medalhistas de prata Luis Arturo Paiva (Venezuela) e de bronze Gracelino Barbosa (Cabo Verde)

Daniel Martins entre os medalhistas de prata Luis Arturo Paiva (Venezuela) e de bronze Gracelino Barbosa (Cabo Verde)

Daniel Martins dominou a prova dos 400m rasos na categoria T20, nesta sexta-feira (09/09), e conquistou a terceira medalha de ouro para o Brasil nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. De quebra, o paulista baixou o recorde mundial – que já pertencia a ele – de 47s78 para 47s22.

Completaram o pódio, o venezuelano Luis Arturo Paiva, com o tempo de 47s83, e Gracelino Tavares Barbosa, de Cabo Verde, com 48s55.

Daniel tomou a frente na prova logo nos primeiro metros e não deu chances aos adversários. Com a liderança assegurada, ele começou a celebrar a medalha antes mesmo de cruzar a linha de chegada. Após a vitória, ele pegou uma bandeira do Brasil e deu a volta olímpica no Estádio do Engenhão.

"Foi muito legal, não dá para explicar essa sensação. Ainda não estou acreditando no que aconteceu. Meu técnico me ajudou muito, falou para eu ficar calmo e botar a cabeça no lugar. Agora é voltar aqui ao longo da semana para torcer pelos meus amigos. Ainda tem mais ouro para vir por aí. Se Deus quiser, a gente vai ouvir o Hino todos os dias", comemorou o brasileiro.

Daniel começou no atletismo apenas em 2013. Mas em tão pouco tempo, o paulista foi campeão no Mundial de Atletismo Pralímpico, em Doha, no Catar, em 2015; estabeleceu o recorde mundial nos 400m na categoria T20 (para deficientes intelectuais) e conquistou, em sua primeira Paralimpíada, a medalha de ouro. Sua deficiência foi constatada durante seu tempo de escola, quando começou a apresentar dificuldades de aprendizado.

PV/abr/ots

Leia mais