CNI/Ibope: Bolsonaro lidera com 27%, e Haddad tem 21% | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 26.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

CNI/Ibope: Bolsonaro lidera com 27%, e Haddad tem 21%

Candidato do PSL perde para Ciro Gomes no segundo turno e aparece atrás de Haddad e Alckmin, em situação de empate técnico, afirma pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria ao Ibope.

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad se mantêm na dianteira da preferência dos eleitores, segundo o Ibope

O Ibope divulgou nesta quarta-feira (26/09) uma nova pesquisa eleitoral sobre a disputa à Presidência da República, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com um quadro semelhante ao da pesquisa anterior.

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, obteve 27% das intenções de voto, e o presidenciável do PT, Fernando Haddad, está na segunda colocação, com 21%. Ciro Gomes, do PDT, é o terceiro, com 12%.

Receba notícias da DW Brasil no WhatsApp

O ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) é o escolhido por 8% dos entrevistados; Marina Silva (Rede) obteve 6% das menções; João Amoêdo (Novo) teve 3%; Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB) foram mencionados, cada um, por 2% dos eleitores. Guilherme Boulos (PSOL) alcançou 1%.

Cabo Daciolo (Patriota), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram neste levantamento do Ibope. Entre os entrevistados, 11% declararam voto em branco ou nulo e 7% não responderam ou não sabem em quem vão votar.

No segundo turno, Bolsonaro aparece atrás de Haddad (42% a 38%), de Alckmin (40% a 36%) e de Ciro, com uma diferença fora da margem de erro, com 44% a 35%. O candidato do PSL supera apenas Marina (40% a 38%).

Os eleitores de Bolsonaro são os que estão mais firmes na sua decisão, considerando apenas os candidatos com mais de 5% das intenções de voto. Entre eles, 55% afirmam que a sua decisão é definitiva. Haddad é o segundo candidato com mais eleitores decididos, com 49% afirmando que não mudará de jeito nenhum o seu voto.

Os eleitores de Alckmin (36%) e de Ciro (35%) são os mais propensos a mudar de voto para evitar que um candidato de quem não gostam ganhe a eleição, quando considerados os candidatos com mais de 5% de intenção de voto.

Bolsonaro é também o líder na rejeição, com 44% dos entrevistados afirmando que não votariam nele de jeito nenhum. Em seguida aparecem Haddad e Marina, com 27%.

A maior parte dos consultados, 44%, disse acreditar que Bolsonaro será eleito presidente da República.

O levantamento ouviu 2 mil eleitores em 126 municípios entre os dias 22, 23 e 24 de setembro (últimos sábado, domingo e segunda-feira).

De acordo com o Ibope, o nível de confiança é de 95%. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (BR-04669/2018).

AS/abr/ots

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais