Bayer oferece 62 bilhões de dólares por Monsanto | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 23.05.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Bayer oferece 62 bilhões de dólares por Monsanto

Se negócio com agroquímica americana for concretizado, o gigante farmacêutico Bayer se tornará o maior fornecedor mundial de herbicidas e sementes. Grupo alemão pretende pagar 122 dólares por cada ação da empresa.

Assistir ao vídeo 01:06
Ao vivo agora
01:06 min

Bayer quer comprar Monsanto em meio à controversa sobre pesticida

O gigante grupo farmacêutico alemão Bayer apresentou uma oferta de 62 bilhões de dólares para comprar a empresa agroquímica americana Monsanto, anunciou a companhia nesta segunda-feira (23/05).

A Bayer ofereceu 122 dólares por cada ação da Monsanto. Caso o negócio se concretize, a empresa se tornará o maior fornecedor mundial de herbicidas e sementes.

A notícia repercutiu na Bolsa de Frankfurt, que abriu em queda. As ações da Bayer caíram mais de 3% na manhã desta segunda-feira. Analistas do mercado financeiro consideram a oferta da Bayer "bastante alta".

O faturamento do grupo aumentaria para cerca de 60 bilhões de euros com a fusão. Atualmente, a Bayer detém 46,3 bilhões de euros. O número de empregados passaria de 117 mil para 140 mil.

Após rumores, a Bayer confirmou na semana passada que pretendia adquirir a Monsanto. Se for levado adiante, o processo de aquisição terá que ser aprovado pelas autoridades antitruste dos Estados Unidos. A proposta deve encontrar resistência por causa do domínio da nova empresa no setor de sementes e herbicidas.

Segundo o jornal The Wall Street Journal, juntas, a Bayer e a Monsanto controlariam 28% das vendas de herbicidas no mundo. Elas também seriam fortes no mercado de sementes de cereais e de soja nos Estados Unidos.

O fato de a Monsanto ser forte nos EUA, e a Bayer, na Europa e na Ásia, pode servir como um bom argumento para a aprovação da fusão. No ano passado, a Monsanto tentou adquirir a concorrente suíça Syngenta, que ao final ficou nas mãos de empresários chineses.

A empresa americana é a fabricante do controverso herbicida glifosato, muito criticado por ambientalistas e suspeito de causar câncer. A licença para o uso da substância na União Europeia acaba no fim de junho, e a renovação está sendo analisada pelas autoridades europeias.

MD/efe/ap/rtr/afp/dpa

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados