Banco Mundial anuncia redução gradual de créditos para China | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 07.12.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Economia

Banco Mundial anuncia redução gradual de créditos para China

Anúncio público vem em seguida a tuítes de Trump alegando que país asiático é rico demais para receber empréstimos. Guerra comercial sino-americana prossegue.

O Banco Mundial comunicou neste sábado (07/12) que planeja uma redução gradual de seus créditos para Pequim: "Os empréstimos para a China caíram acentuadamente e continuarão a ser reduzidos como parte de nosso acordo com nossos acionistas, incluindo os Estados Unidos."

O anúncio vem em meio a críticas do presidente americano, Donald Trump, contra a concessão de créditos para a segunda maior economia do mundo. "Nós eliminamos os empréstimos à medida que os países ficam mais ricos", prossegue o comunicado.

A instituição financeira internacional adotou na quinta-feira um pacote de crédito a baixos juros para a China de 1 bilhão a 1,5 bilhão de dólares anuais, até junho de 2025. O plano prevê que se "reduza gradualmente" a média anual do quinquênio anterior, de 1,8 bilhão de euros.

Em reação ao anúncio, em estilo costumeiramente apoplético, Trump tuitou no dia seguinte: "Por que o Banco Mundial está emprestando dinheiro para a China? Será possível? A China tem um monte de dinheiro, e se não tem, eles criam. PAREM!" Atualmente os dois países estão tentando alcançar um acordo para dar fim à guerra comercial iniciada 18 meses atrás pelo líder dos EUA.

AV/afp,rtr

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais