Após acordo com Merkel, líder social-democrata renuncia | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 07.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Após acordo com Merkel, líder social-democrata renuncia

Martin Schulz deixa presidência do SPD e deve ocupar cargo de ministro do Exterior em novo governo de coalizão com conservadores. Líder aponta necessidade de renovação do partido para justificar sua decisão.

Martin Schulz e Andrea Nahles

Schulz renuncia à predidência do SPD e indica líder da bancada do partido no Parlamento, Andrea Nahles, para o cargo

Poucas horas após o anúncio do acordo entre conservadores e social-democratas para formar uma coalizão de governo na Alemanha, o líder do Partido Social-Democrata (SPD), Martin Schulz, renunciou à presidência da legenda nesta quarta-feira (07/02).

"Decidi participar do governo como ministro do Exterior", anunciou Schulz. O social-democrata reconheceu o resultado ruim nas últimas eleições, em setembro, e a necessidade de mudança. Ele argumentou que será melhor para a renovação do partido ter um líder que não faça parte do governo. Com 20,5% dos votos, a legenda obteve seu pior resultado eleitoral desde 1949 no pleito legislativo.

Schulz afirmou ainda que não pretende assumir o posto de vice-chanceler, devido à presença que o cargo exige em Berlim e que não é compatível com as obrigações de um ministro do Exterior.

Como sua sucessora na presidência do SPD, Schulz indicou a líder da bancada do partido no Parlamento, Andrea Nahles. A confirmação da indicação precisa do aval dos filiados do partido em votação que deve correr num congresso nacional extraordinário. Esta seria a primeira vez que a legenda seria liderada por uma mulher. Por enquanto, Nahles assume o comando do SPD de maneira interina. 

Schulz disse ainda estar otimista sobre a aprovação do programa de governo acordado pelos mais de 460 mil membros do SPD. Nas próximas semanas, os filiados poderão votar pelo correio a favor ou contra a reedição da chamada grande coalizão com a União Democrata Cristã (CDU) e a União Social Cristã (CSU). O resultado deve ser anunciado no início de março.

Schulz assumiu a liderança do SPD em março do ano passado, após ser indicado como o candidato da legenda para as eleições gerais da Alemanha. Na época, o social-democrata recebeu o apoio de 100% dos filiados.

CN/rtr/dpa

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais