Alemanha condecora desenvolvedores da vacina da Biontech-Pfizer | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 19.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Alemanha condecora desenvolvedores da vacina da Biontech-Pfizer

Casal de médicos Özlem Türeci e Ugur Sahin recebe ordem de mérito por "contribuição decisiva" contra a pandemia. Eles são os fundadores da Biontech, que desenvolveu imunizante contra covid-19 em parceria com a Pfizer.

O presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, entrega a Grã-Cruz do Mérito com Estrela ao casal de cientistas Özlem Türeci e Ugur Sahin, fundadores da empresa farmacêutica alemã BioNTech, que criou a primeira vacina do mundo contra a covid-19 (19/03/21).

A condecoração foi a primeira concedida pessoalmente pelo presidente alemão este ano

Quase um ano atrás, Özlem Türeci e Ugur Sahin ainda eram nomes desconhecidos no mundo da indústria farmacêutica. O  trabalho do casal, que fundou sua pequena empresa de biotecnologia com o nome Biontech em 2008, se concentrava sobretudo na pesquisa sobre câncer.

Mas devido à pandemia do novo coronavírus e graças ao projeto da Biontech batizado de Lightspeed (velocidade da luz), lançado em meados de janeiro de 2020, o casal de médicos ficou famoso no mundo todo por desenvolver a primeira vacina contra a covid-19 – a doença causada por uma infecção com o vírus Sars-Cov-2. A vacina, produzida em tempo recorde com a parceira americana Pfizer, provou ser mais de 90% eficaz na criação de imunidade contra o vírus original e, segundo estudo,também contra suas variantes britânicas e sul-africanas.

Pode-se dizer, portanto, que o CEO da BioNTech, Ugur Sahin, e sua diretora médica, Özlem Türeci, estão salvando a vida de milhões de pessoas em todo o mundo.

Nesta sexta-feira (19/03), o presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, entregou a chamada Grã-Cruz do Mérito com Estrela a Türeci e Sahin. Eles foram condecorados por estarem fazendo "uma contribuição decisiva para a contenção da pandemia do coronavírus", disse o presidente alemão.

Grã-Cruz do Mérito com Estrela

A Grã-Cruz do Mérito com Estrela, subclasse da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha

A Grã-Cruz do Mérito com Estrela faz parte de um grupo de condecorações denominado Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha. A Ordem foi criada em 1951 pelo primeiro presidente alemão do pós-guerra, Theodor Heuss, e, desde então, concedida a mais de 260 mil pessoas. Ela compreende quatro grupos, com oito classes regulares e uma especial, e tem como objetivo "expressar visivelmente o reconhecimento e a gratidão a homens e mulheres louváveis do povo alemão e de outros países".

Entre os agraciados com as mais altas honrarias da Alemanha, há nomes estrangeiros proeminentes, como a rainha britânica Elizabeth 2ª, e o ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush, bem como figuras alemãs famosas, como o ex-chanceler federal Helmut Kohl. A diretora da companhia de dança Pina Bausch, o comediante Vicco von Bülow e um grande número de alemães de todas as classes sociais também já foram homenageados por seus serviços prestados à Alemanha.

Mudança de foco para salvar o mundo

De acordo com o presidente alemão, o casal de cientistas também recebe a cruz por suas "pesquisas pioneiras e mundialmente reconhecidas" no campo da tecnologia de mRNA. A nova terapia genética no desenvolvimento de vacinas usa uma pequena parte da informação genética do vírus para desencadear uma resposta imunológica.

Ugur Sahin, fundador da Biontech

Sahin se descreve como um engenheiro imunológico que busca usar os mecanismos antivirais do corpo para tratar o câncer

Antes de seus estudos com a covid-19, Sahin e Türeci já estavam tentando controlar a capacidade do corpo humano de se defender de bactérias e vírus. Eles procuravam combater o câncer com a chamada imunoterapia, que estimula mecanismos de autocura e o uso da própria "força policial" do corpo para tornar inofensivos tumores malignos.

Özlem Türeci, diretora médica da empresa de biotecnologia Biontech

Para a diretora médica da Biontech, Özlem Türeci, um tratamento focado no paciente é o que mais importa

O currículo de Sahin e Türeci em pesquisa de mRNA lhes permitiu desenvolver a vacina da Biontech-Pfizer em um período de tempo surpreendentemente curto, de menos de um ano, tornando-a o primeiro imunizante contra covid-19 disponível no mundo, após a aprovação de uso de emergência nos Estados Unidos em novembro de 2020. Ela foi aprovada na União Europeia em dezembro.

No Brasil, a vacina é a única contra a covid-19 a já ter registro definitivo na Avisa. Nesta semana, o Ministério da Saúde anunciou que o governo federal fechou contratos para adquirir 100 milhões de doses do imunizante.

Reconhecimento do trabalho em equipe

Em dezembro, Sahin disse à DW que não se via como um novo "super-herói" na pesquisa de vacinas. "Só conseguimos fazer isso porque temos uma equipe fantástica. Uma equipe de cientistas internacionais e funcionários de 60 países diferentes que trabalham conosco há anos neste tópico [pesquisa de mRNA]", disse.

Não há nenhuma recompensa financeira para quem é homenageado com a Ordem de Mérito da Alemanha. Mas tantos anos de pesquisa estão dando frutos para Ugur Sahin e Özlem Türeci: Sahin possui 18% das ações da Biontech, listadas na bolsa de Nasdaq, de Nova York. Depois do sucesso de lançamento de sua vacina, o casal se viu de repente entre os 100 alemães mais ricos do mundo – pelo menos no papel.

Ambos têm origem turca. Nascido na Turquia, aos quatro anos Sahinle se mudou com a mãe para Colônia, na Alemanha, onde seu pai trabalhava na fábrica da Ford. Türeci, por sua vez, é filha de um médico turco de Istambul que se mudou para a Alemanha.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados