Acidente de Schumacher completa cinco anos | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 29.12.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Acidente de Schumacher completa cinco anos

Continua um mistério estado de saúde do heptacampeão de Fórmula 1, ferido gravemente ao se chocar com uma rocha quando esquiava. Mansão onde vive, na Suíça, foi transformada em espécie de clínica de reabilitação privada.

Cartaz de fã-clube com foto de Schumacher sorrindo deseja melhoras ao campeão, com frases em várias línguas

Cartaz de fã-clube deseja melhoras ao campeão. Último boletim médico foi divulgado em 2014

O mistério envolve o heptacampeão mundial de Fórmula 1 Michael Schumacher cinco anos depois de um grave acidente nos Alpes franceses. No dia 29 de dezembro de 2013, o alemão sofreu lesões graves ao se chocar com um rocha enquanto esquiava. Desde então, nem uma foto sequer do ídolo vazou. O último boletim médico sobre seu estado de saúde foi divulgado em setembro de 2014.

Mas indícios ou notícias sobre o seu estado começaram a surgir há algumas semanas com a proximidade dos cinco anos do acidente e do aniversário do piloto, que completa 50 anos no dia 3 de janeiro.

O tabloide alemão Bild, o mais lido da Europa, publicou em sua edição desta sexta-feira o que se sabe do ocorrido em 29 de dezembro de 2013.  Segundo o periódico, a esposa do piloto, Corinna, guarda o vídeo gravado com a câmera acoplada ao capacete do marido quando aconteceu o acidente.

O Bild detalhou como o ídolo foi transportado da estação à clínica de Grenoble, as dramáticas horas e dias seguintes, em que se temeu pela vida do heptacampeão, e os cinco meses em que ele ficou em coma.

Em 16 de junho de 2014, a família de Schumacher comunicou que o ex-corredor havia saído do coma e passaria a continuar sendo atendido em uma clínica de Lausanne (Suíça), onde permaneceu até 9 de setembro do mesmo ano, quando foi levado para seu chalé, em Gland, no cantão suíço de Vauz.

À época, um funcionário de uma empresa de transporte aéreo médico foi acusado de roubar um dos prontuários médicos sobre Schumacher e oferecê-lo a veículos da imprensa em troca de dinheiro. O suspeito foi preso, mas foi encontrado enforcado em sua cela no dia seguinte.

Em Gland, a mansão familiar se tornou uma espécie de clínica de reabilitação particular, equipada com tudo que é necessário para atender o piloto. A ex-porta-voz e atual empresária do maior vencedor da história da Fórmula 1, Sabine Kehm, e a mulher dele, Corinna, também atuam como um verdadeiro cordão de isolamento, evitando o vazamento de informações. Elas administram as contas oficiais do alemão nas redes sociais, mas se limitam, nelas, a postar recordações de grandes resultados e fotos nostálgicas.

Formel-1-Pilot Michael Schumacher (picture-alliance/dpa/J. Büttner)

Michael Schumacher em 2006

As duas mulheres são o fio transmissor das informações autorizadas e até agora guardaram com zelo o segredo sobre o estado do ídolo, algo que nos dias e até semanas seguintes ao acidente não foi fácil, com a clínica de Grenoble cercada de jornalistas do mundo todo. A situação de Schumacher é "assunto particular", costumam responder quando surge alguma notícia ou suposta notícia sobre o piloto.

Corinna, casada com o ídolo do automobilismo desde 1995, é uma figura pública que acompanha os progressos dos seus dois filhos, Mick e Gina Maria, de 19 e 21 anos, respectivamente. O mais novo foi vice-campeão de Fórmula 4 duas vezes, campeão europeu de Fórmula 3 e no próximo ano disputará a Fórmula 2. Já a mais velha se dedica à equitação.

A evolução de Mick nos circuitos transformou os seus companheiros ou amigos em "fonte" jornalística para veículos de imprensa ansiosos por depoimentos sobre como a família lida com a situação.

Em novembro, a revista Bunte deu grande destaque para declarações do arcebispo Georg Gänswein sobre o estado de saúde de Schumacher, embora elas se refiram a uma visita efetuada ao chalé familiar em 2016. 

"Ele consegue sentir as pessoas em redor dele. Sentei-me à frente dele, segurei-lhe as duas mãos e olhei para ele. O rosto é, como todos sabemos, o típico rosto de Michael Schumacher, só está um pouco mais inchado. Ele sente que pessoas amorosas estão à sua volta, a cuidar dele e, graças a Deus afastando os demasiado curiosos. Uma pessoa doente precisa de discrição e compreensão", disse o religioso.

Também no mês passado, o jornal britânico Daily Mail publicou em uma reportagem que o piloto não está em coma nem respira com a ajuda de aparelhos. A notícia não foi desmentida pela família Schumacher, ao contrário de outras informações divulgadas nos últimos anos por tabloides. 

Em 2017, a família ganhou um processo contra a própria revista Bunte por violação do direito a intimidade, devido à publicação de informação falsa sobre o estado de saúde do heptacampeão. 

Em dezembro de 2015, a revista, especializada em notícias sobre celebridades, publicou uma matéria na qual uma fonte afirmava, em anonimato, que o ex-piloto havia se recuperado  e conseguia andar com ajuda de fisioterapeutas. Na época, a agente de Schumacher desmentiu a reportagem. Recentemente, a família também desmentiu a notícia de uma revista suíça que informou que o ex-piloto seria transferido para uma casa na Espanha.

Para acalmar um pouco tanto interesse midiático, os Schumacher divulgaram em novembro deste ano uma entrevista inédita, feita com perguntas dos fãs e realizada pouco antes do acidente.

O Bild também convidou os leitores a enviarem à redação fotos ou lembranças pessoais relacionados com o piloto para publicá-las na próxima quinta-feira (03/01), num especial para celebrar o aniversário de 50 anos do piloto.

JPS/efe/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais