Turquia: Entre aplausos e protestos, Santa Sofia reabre como mesquita | NOTÍCIAS | DW | 24.07.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Turquia: Entre aplausos e protestos, Santa Sofia reabre como mesquita

O Presidente Recep Erdogan inaugura esta sexta-feira (24.07) as primeiras orações muçulmanas em 86 anos na antiga igreja bizantina de Santa Sofia. A reconversão em templo islâmico foi aplaudida e também criticada.

Há cerca de duas semanas, Erdogan assinou o decreto que anulou o estatuto de museu, dado ao edifício em 1934, e devolveu a autoridade ao Diyanet, o organismo público gestor das mesquitas turcas, equivalente a um ministério.

O chefe do Diyanet, Ali Erbas, conduzirá as orações num programa para o qual foram convidadas cerca de 500 personalidades turcas e estrangeiras, aguardando-se a presença dos Presidentes do Qatar e do Azerbaijão.

A inauguração simbólica do novo local de culto foi feita sexta-feira (24.07) por Erdogan, que descerrou a placa que identifica o monumento como "Grande Mesquita de Santa Sofia".

Todos os acessos ao edifício, datado do século VI, foram encerrados pelas autoridades na noite de sexta-feira (17.07), que anunciaram a presença de 17.000 seguranças de serviço.

Funcionamento e nomeações

Türkei Istanbul Hagia Sophia vor erstem Freitagsgebet (Reuters/U. Bektas)

Crentes do lado de fora da mesquita Santa Sofia

Ainda na sexta-feira (17.07), Ali Erbas anunciou a nomeação dos três imãs que irão coordenar e liderar as orações na reconvertida mesquita - Mehmet Boynukalin, professor de Direito Islâmico na Universidade Mármara de Istambul, e Ferruh Mustuer e Bunjamim Topcuoglu, responsáveis de duas outras mesquitas na mesma cidade.

Erbas anunciou também a nomeação de cinco 'muezzins' (os que fazem os apelos muçulmanos para as orações) para a Hagia Sofia (Santa Sofia), incluindo dois oriundos da conhecida Mesquita Azul, também em Istambul.

As autoridades locais também instalaram áreas diferenciadas no exterior da mesquita, uma para homens e outra para as mulheres que pretendam juntar-se às orações inaugurais de sexta-feira (24.07).

Entre críticas e felicitações

Tal como as demais mesquitas históricas de Istambul, a de Santa Sofia permanecerá a partir de agora aberta a qualquer visitante ou turista, gratuitamente, à exceção das cinco orações diárias, em que apenas terão acesso os fiéis.

A reconversão em templo muçulmano, função que o monumento já cumpriu entre a conquista otomana de Constantinopla, em 1453, e a secularização, em 1934, recebeu felicitações de organizações islâmicas, do Qatar, Paquistão, Malásia e de outros países, mas também numerosas críticas.

Türkei Istanbul Hagia Sophia soll Moschee werden (AFP/Turkish Presidential Press)

Presidente da Turquia, Recep Erdogan (centro) na mesquita Santa Sofia

Questão de soberania

O maior partido da oposição turca, o social-democrata CHP, recusou o convite para participar na oração matinal inaugural, a UNESCO criticou o facto de não ter sido consultada sobre a mudança de estatuto do monumento, património mundial da humanidade desde 1985.

A Igreja Ortodoxa russa criticou duramente a decisão de Erdogan, qualificando-a como um "insulto", e o Governo grego, tal como vários partidos da oposição do país, considerando-a como "um desafio ao mundo civilizado".

Ancara, por seu lado, insiste que todas as decisões relacionadas com o monumento são inteiramente uma questão de soberania turca.

  

Leia mais