1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Delfim Neves candidatou-se ao cargo de Presidente em 2021
Delfim Neves candidatou-se ao cargo de Presidente em 2021Foto: Ramusel Graça/DW
PolíticaSão Tomé e Príncipe

Tentativa de golpe em São Tomé: Delfim Neves detido

Lusa | ms
25 de novembro de 2022

Delfim Neves, ex-presidente da Assembleia de São Tomé e Príncipe, foi detido esta manhã, na sequência de um ataque ao quartel militar, já neutralizado. "Fomos alvo de uma tentativa de golpe", disse o primeiro-ministro.

https://p.dw.com/p/4K2o5

"Fomos alvo de uma tentativa de golpe, que começou por volta das 00:40 e que teve o seu desfecho, em termos operacionais, pouco depois das 06:00", disse o chefe do Governo, numa conferência de imprensa. "Tudo indica" que o ataque ocorreu "a mando de algumas personalidades", disse Patrice Trovoada.

"O Estado Maior informou-me que detiveram algumas pessoas, na base de declarações do primeiro grupo de quatro [atacantes] que foi detido e neutralizado. Alguns nomes mais conhecidos, Arlécio Costa, está detido no quartel e Delfim Neves também está detido no quartel", avançou o primeiro-ministro.

As forças de segurança de São Tomé e Príncipe detiveram militares que facilitaram a entrada de atacantes no quartel militar, durante o assalto na noite passada que foi neutralizado ao início da manhã, disse à Lusa o ministro da Defesa Nacional e Administração Interna, Jorge Amado.

O primeiro-ministro adiantou ainda que foram detidos os quatro atacantes, "ligados ao famoso e triste grupo dos Búfalos", que entraram no quartel, aparentemente com o intuito de se apoderarem de mais armas, mas que no exterior se encontravam mais elementos, em carrinhas, e que trocaram fogo com os militares.

Ataque terá ocorrido
Ataque terá ocorrido "a mando de algumas personalidades", disse Patrice Trovoada Foto: Ramusel Graça/DW

"Quero dizer aos são-tomenses, os que residem no país, e à comunidade estrangeira que a situação está controlada, está calma", afirmou ainda o chefe do Governo, adiantando que "por questões de precaução", as escolas perto do quartel estão encerradas.

"Não se trata de um roubo, não se trata de um furto. Trata-se de um ataque com armas de guerra às Forças Armadas do país e temos primeiro que resolver esse problema", adiantou.

"Espero que a justiça faça o seu trabalho, São Tomé e Príncipe não merece todos estes problemas. O povo é soberano, o povo escolheu essa equipa para conduzir os destinos" do país, salientou.   

Um ferido grave

"Quatro homens quiseram assaltar o quartel e fizeram refém o oficial de dia", indicou fonte do Governo à Lusa, que referiu que já foi aberto um processo de investigação.

Segundo fonte médica, durante o assalto, um homem ficou ferido com gravidade devido a agressões, mas já se encontra a recuperar.

A mesma fonte adiantou que os assaltantes tinham idades entre os 21 e os 24 anos e tiveram ajuda de "alguns soldados internos, que permitiram a entrada no quartel".

Relatos de moradores no quartel militar divulgados nas redes sociais deram conta de ocorrências de tiroteios. Hoje de manhã os acessos ao local estiveram bloqueados, mas segundo a Rádio Nacional de São Tomé, a situação foi, entretanto, controlada.

Patrice Trovoada, líder da Ação Democrática Independente (ADI), assumiu há duas semanas o cargo de primeiro-ministro, pela quarta vez, na sequência da vitória com maioria absoluta nas legislativas de 25 de setembro.

Delfim Neves, que se candidatou com o recém-criado Basta, foi um dos dois eleitos para o parlamento por este movimento. 

Saltar a secção Mais sobre este tema