Polícia afasta suspeita de crime na morte de Sindika Dokolo | NOTÍCIAS | DW | 01.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Polícia afasta suspeita de crime na morte de Sindika Dokolo

Não há indícios de qualquer "ato criminoso" na morte do empresário congolês, segundo a polícia do Dubai. Marido de Isabel dos Santos morreu na sexta-feira, num acidente de mergulho.

"Não suspeitamos de qualquer ato criminoso na morte do empresário Sindika Dokolo, de 48 anos, que se afogou quando fazia mergulho livre no norte da ilha de Deira", anunciou a polícia do emirado em comunicado, este domingo (01.11).

O empresário congolês, marido de Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos, morreu na quinta-feira, num acidente de mergulho no Dubai, Emirados Árabes Unidos. As autoridades receberam "uma chamada de emergência" a 29 de outubro e as equipas de salvamento marítimo foram "imediatamente enviadas", disse o major-general Khaled Ibrahim al-Mansouri, comandante-chefe adjunto dos serviços de investigação criminal no Dubai.

Segundo o major-general, Sindika Dokolo praticava uma forma de mergulho localmente conhecida como "al-hiyari" que não utiliza equipamento de respiração e assenta na utilização exclusiva do ar existente nos pulmões. 

"A polícia investigou as circunstâncias da morte, ouviu as declarações de amigos do falecido e reviu os resultados do relatório forense e todos permitiram concluir que não há qualquer suspeita criminal por detrás da morte", adiantou.

A morte de Sindika Dokolo, nascido a 16 de maio de 1972, no antigo Zaire (atual República Democrática do Congo), deixou a RDC em choque. Casado desde 2002 com Isabel dos Santos, o empresário viu os seus bens congelados em 2020 pelo sistema judicial angolano, que acusou o casal de enriquecimento ilícito e branqueamento de capitais. Ambos negaram as acusações. 

Assistir ao vídeo 01:00

Estado angolano vs. Isabel dos Santos: Um processo que se adivinha longo

Leia mais