Moçambique: Estudantes de Inhambane impedidos de continuar licenciatura | Moçambique | DW | 22.01.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Moçambique: Estudantes de Inhambane impedidos de continuar licenciatura

Governo moçambicano mandou encerrar a Universidade Mussa Bin Bique, na província de Inhambane, no sul do país, alegando falta de condições para o seu funcionamento. Decisão afetou 300 estudantes.

default

A Universidade Mussa Bin Bique arrenda salas de aula na Escola Primária 7 de Abril (foto) para os seus estudantes

A Universidade Mussa Bin Bique, em Inhambane, estava a funcionar há mais de 15 anos, mas teve de fechar as portas.

Em dezembro, o Ministério da Ciência e Tecnologia Ensino Superior e Técnico Profissional recomendou o encerramento da universidade, alegando vários motivos: a falta de salas de aula apropriadas e de laboratórios, a falta de um plano de formação do corpo docente e a existência de dois reitores, um deles na delegação da província de Nampula.

Rodrigues Tamele, diretor provincial da Ciência e Tecnologia em Inhambane, diz que a decisão é o culminar de um trabalho de inspeção.

Assistir ao vídeo 02:18
Ao vivo agora
02:18 min

Skate: Uma ferramenta social em Maputo

"A produção do relatório com base no qual o Ministério da Ciência e Tecnologia exarou o despacho para se encerrar a unidade orgânica da Universidade Mussa Bin Bique tem a ver com as condições exigidas para o seu funcionamento como uma instituição de ensino superior", refere Tamele em entrevista à DW África.

O encerramento da universidade afeta 300 estudantes, que estavam no terceiro e no quarto ano. Em 2018, não foi admitido nenhum aluno por ordem do Ministério da tutela.

"Motivos fúteis"

A instituição está agora a tentar que, pelo menos, o Ministério autorize os estudantes a defenderem as suas monografias. Até agora, não obteve resposta.

"Não sabemos, estamos ainda à espera", comenta Momed Amisse, porta-voz da Universidade Mussa Bin Bique. "Alguns alunos que estavam no quarto ano em 2018 aparecem sempre a perguntar qual o passo a seguir. Dizemos simplesmente para esperar uma resposta, porque escrevemos ao Ministério e estamos à espera."

Ouvir o áudio 03:18
Ao vivo agora
03:18 min

Estudantes de Inhambane impedidos de continuar licenciatura

Fernando Nhaca estava no quarto ano do curso de Direito e lamenta a decisão do Governo de fechar a universidade. Nhaca diz que os motivos invocados para o encerramento não fazem sentido, sobretudo olhando para o historial da instituição, que já formou milhares de estudantes.

"Todo o país tem estes estudantes: houve juízes que saíram da Mussa Bin Bique, economistas, formados em gestão agrária e, de um momento para o outro, alegam motivos fúteis para poder encerrar" a universidade, diz o estudante.

Este não é um caso único. No ano passado, quatro instituições técnico-profissionais e superiores também encerraram as portas em Inhambane.

Para Rodrigues Tamele, diretor provincial da Ciência e Tecnologia, o principal problema é que as instituições não cumprem com os requisitos de um "sistema baseado em padrões de competência", necessários para a emissão de certificados para poderem ensinar.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados