Mali: Suspeitos jihadistas matam 12 civis em armadilha | NOTÍCIAS | DW | 06.08.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Mali: Suspeitos jihadistas matam 12 civis em armadilha

Pelo menos 12 civis foram mortos no Mali por presumíveis jihadistas que atraíram vítimas para um atentado à bomba. Dezenas deixaram as suas casas em Ouakan para se refugiarem nas aldeias vizinhas neste sábado.

Pelo menos 12 civis foram mortos no Mali por alegados jihadistas que atraíram vítimas para um atentado à bomba, segundo disseram funcionários e uma fonte da polícia neste sábado.

"Os jihadistas mataram primeiro dois civis em Ouakan (uma cidade próxima ao centro do Mali) antes de manipularem os seus corpos com explosivos", disse à AFP um funcionário eleito de uma cidade próxima, sob condição de anonimato.

"Quando os pais e familiares dos mortos vieram à procura dos corpos, houve uma explosão e pelo menos dez outras pessoas foram mortas", disse.

Outro funcionário confirmou os relatos do ataque de sexta-feira, dizendo que "vários outros civis estão atualmente desaparecidos em Ouakan".

Retirada de tropas do Mali: Como vai ficar o combate ao terrorismo no Sahel?

Jihadistas

"Os corpos dos dois civis foram manipulados pelos jihadistas", disse o funcionário. "Explodiram quando os seus pais e familiares vieram à procura dos dois corpos - há pelo menos uma dúzia de mortos".

Neste sábado, dezenas de civis de Ouakan deixaram as suas casas para se refugiarem nas aldeias vizinhas, temendo novos ataques, disseram várias testemunhas à AFP.

Um funcionário da polícia regional disse à AFP "estão a ser tomadas medidas para garantir a segurança da população local" e que seriam postas em prática a partir de hoje.

"Os jihadistas estão a utilizar cada vez mais métodos criminosos", prosseguiu ele. "Eles manipularam corpos em Ouakan, que mais tarde foram rebentados".

O Mali, epicentro de uma sangrenta campanha jihadista de 10 anos em toda a região, sofreu golpes em agosto de 2020 e maio de 2021, o que culminou numa crise política e de segurança.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados