Mali: PR interino ″são e salvo″ após tentativa de ataque em mesquita | NOTÍCIAS | DW | 20.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Mali: PR interino "são e salvo" após tentativa de ataque em mesquita

Assime Goita passa bem após uma tentativa de ataque com faca numa mesquista em Bamako, informou a Presidência maliana. Segundo as autoridades, o ataque foi protagonizado por dois homens, um deles empunhando uma faca.

O presidente interino do Mali, Coronel Assimi Goita, estava "são e salvo", disse o seu gabinete, após uma tentativa de ataque com faca por dois homens, durante orações numa mesquita em Bamako, na terça-feira. 

Um jornalista da AFP que testemunhou o ataque disse que os assaltantes pulmaram em Goita, que foi rapidamente levado pela segurança.

Dois homens armados, incluindo um que empunhava uma faca, atacaram o presidente interino do Mali, Assimi Goita, na terça-feira, de acordo com um jornalista da agência de notícias France Press (AFP), durante orações na grande mesquita da capital Bamako.

O ataque ocorreu esta terça-feira (20.07) durante as celebrações da festa islâmica de Eid al-Adha. O Presidente foi rapidamente retirado da área, segundo a AFP.

Mali Bamako | Messerangriff auf Übergangspräsident | Assimi Goita

Seguranças do Presidente detiveram um suspeito

Ainda de acordo com a agência, havia sangue no local, mas não há informações de quem terá sido atingido.

Entretanto, uma fonte do gabinete do Presidente disse que Goita estava "são e salvo", após do que foi classificado como uma "tentativa de assassinato" pelas autoridades malianas.

Goita chegou ao acampamento militar de Kati, fora da capital, "onde a segurança foi reforçada", acrescentou a fonte, avançando que "investigações estão em curso" para apurar as causas do ataque. 

Ataque 

O incidente ocorreu após as orações para a festa islâmica de Eid al-Adha, na grande mesquita de Bamako. Os assaltantes foram ter com o Presidente quando um imã estava a dirigir os adoradores para fora da mesquita.

O Ministro dos Assuntos Religiosos Mamadou Kone, que estava na mesquita, disse à AFP que um homem tinha "tentado matar o Presidente com uma faca", mas foi detido.

O diretor da mesquita, Latus Toure, disse que um agressor tinha atacado o Presidente, mas ferido outra pessoa. Mais tarde, um oficial de segurança que pediu anonimato disse que duas pessoas tinham sido presas e que estavam agora detidas.

Mali Bamako | Messerangriff auf Übergangspräsident | Assimi Goita

Mesquita palco do ataque em Bamako

Meses conturbados

O ataque chocante segue-se a meses de tumultos políticos no Mali, que também está a combater uma insurreição jihadista que já ceifou milhares de vidas e expulsou centenas de milhares de pessoas das suas casas.

Goita foi empossado no poder em junho, depois de liderar o segundo golpe de Estado do país em menos de um ano. O coronel já tinha liderado um golpe em agosto passado, quando ele e outros oficiais do exército depuseram o Presidente eleito Ibrahim Boubacar Keita, após semanas de protestos em massa por causa da corrupção e do conflito jihadista de longa data.

O segundo golpe em nove meses provocou um alvoroço diplomático, levando a União Africana e a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) a suspender o Mali, apelando à nomeação de um primeiro-ministro civil.

A França, que tem milhares de tropas estacionadas no país devastado pela guerra, também suspendeu a cooperação militar com o Mali.

A junta militar entregou o poder a um Governo de transição liderado por civis, e prometeu restaurar o Governo civil em fevereiro de 2022.

Artigo atualizado às 13h53 do Tempo Universal Coordenado com mais informações sobre o ataque ao PR interino do Mali.

Leia mais