Inauguração da ponte Maputo-Katembe aguardada com expetativa | Moçambique | DW | 29.06.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Inauguração da ponte Maputo-Katembe aguardada com expetativa

Residentes de Katembe, do outro lado da baía de Maputo, estão ansiosos pela inauguração da ponte. Muitos acreditam que a infraestrutura vai aliviar o sofrimento da travessia e trazer melhorias ao lado de Katembe.

José Cossa nasceu e vive em Katembe há 45 anos. Está na ponte cais de Maputo, com a sua mercadoria, à espera de atravessar a baía numa pequena embarcação, conhecida pelos utentes como "mapapaia". Como muitos, acredita que a ponte não só facilitará a travessia, como vai colmatar algumas falhas daquela zona.

 "Trará investidores a Katembe. Temos falta de hospitais, falta de lojas, temos falta de muita coisa. Para termos esses produtos somos obrigados a atravessar para a cidade. A ponte para mim é bem-vinda, porque trará esse intercâmbio entre pessoas que vêm de outros sítios", conta.

Ouvir o áudio 02:31
Ao vivo agora
02:31 min

Inauguração da ponte Maputo-Katembe aguardada com expetativa

Também no mercado local, a conversa gira em torno das vantagens que a ponte vai trazer para os residentes. Sandra Chicuamba reside em Katembe há 15 anos e acredita que a sua região estará nas bocas de todo o mundo.

"Que a Katembe seja um lugar turístico mundial. Todo o mundo estará curioso em querer vir para cá", afirma.

O entusiasmo é tão grande, que Sandra até já tem alguns conselhos a dar a todos os residentes para atrair os turistas.

"As pessoas deverão mentalizar-se que isto já não é a Katembe de ontem, é a Katembe de hoje", diz, embora saiba que muito tem de ser feito para alcançar essa Katembe do futuro, como "pôr a Katembe limpa, mais desenvolvida".

Inauguração sem data marcada

Ainda não se sabe quando a ponte Maputo-Katembe será inaugurada. O atraso na inauguração da maior ponte suspensa de África deveu-se ao braço-de-ferro, já ultrapassado, entre o município de Maputo e os vendedores de um mercado, do lado da capital, que pediam indemnizações para sair do local.

Enquanto se aguarda pela ponte, a vida vai sendo muito difícil por causa dos custos diários da travessia. Para Manuel Paulino, que precisa de transportar material de construção, o custo para a travessia é o equivalente a 18 euros.

Halböffentlicher Nahverkehr in Katembe, Mosambik

Será que a nova ponte trará efeitos negativos para condutores de 'chapas'?

"Não consigo ter transporte. Tenho de mandar vir um carro de Maputo para cá para poder fazer os meus trabalhos. Posso dizer que está caro. A travessia está a mil meticais [18 euros] só a ida, e a volta mais mil", queixa-se.

Manuel Paulino não tem dúvidas sobre o que será a Katembe depois da inauguração da ponte: "Acredito que aqui as coisas vão baixar e o custo de vida vai baixar para muitos", diz.

Consequências negativas?

Por outro lado, Alfredo Tembe, transportador de semicoletivo de passageiros, mostra-se pessimista. O "chapeiro", como são chamados estes trabalhadores, duvida que a vida melhore com a chegada da ponte e teme pelo seu negócio.

"Depois da ponte não sabemos o que vai acontecer, porque haverá 'chapas' que sairão da cidade a entrarem aqui na Katembe e outros que sairão daqui para a cidade".

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados