Herdeiro de Merkel, Armin Laschet, vive pior resultado eleitoral da CDU desde 1950 | NOTÍCIAS | DW | 27.09.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Herdeiro de Merkel, Armin Laschet, vive pior resultado eleitoral da CDU desde 1950

Laschet poderá ser o chanceler alemão caso a fase de negociações para a formação da coalizão governamental reserve surpresas. Forte adepto das políticas de Merkel, o conservador amarga uma derrota histórica.

O candidato conservador Armin Laschet amarga um resultado negativo histórico para a União Democrata-Cristã (CDU) nas eleições legislativas da Alemanha. Desde 1950, os conservadores não tinham um desempenho tão fraco num pleito para o Bundestag, o Parlamento alemão. 

Armin Laschet liderou nos últimos anos o estado mais populoso da Alemanha, a Renânia do Norte-Vestfália. Em teoria, é o trampolim ideal para a chancelaria federal. Mas o candidato apanhou vários sustos durante a campanha.

Em meados de julho, depois de inundações que provocaram mais de 180 mortos no estado da Renânia-Palatinado e no seu próprio estado, o político de 60 anos de idade foi alvo de muitas críticas.

Durante uma visita à cidade de Erftstadt, enquanto o Presidente alemão Frank-Walter Steinmeier aparecia na televisão a manifestar o seu pesar pelas mortes e destruição na região, Laschet estava atrás, aparentemente a rir-se de uma piada, juntamente com outros responsáveis locais. O político pediu desculpa pelo sucedido.

Laschet em Erftstadt

Laschet foi apanhado a rir-se durante uma visita a Erftstadt, uma cidade no oeste da Alemanha, que foi assolada pelas cheias

Mas as polémicas não ficaram por aí. Depois do desastre, Armin Laschet afirmou: "Não vamos mudar toda a nossa abordagem só por causa de um dia como este". A declaração não caiu bem, pois muitas pessoas começavam a ver uma possível ligação entre desastres naturais como aquele e as mudanças climáticas.

Mais tarde, Laschet voltou atrás: "Temos todos de fazer o que pudermos para lutar contra as alterações climáticas", afirmou.

Esta é uma das críticas a Laschet: a inconstância nas suas promessas de defesa do clima. Muitos perguntam: o que é que o político defende realmente? 

Aliado de Merkel

O antigo advogado e jornalista é tido como um acólito de Angela Merkel. Quando a chanceler foi criticada por algumas alas da União Democrata-Cristã (CDU) em relação ao acolhimento de centenas de milhares de refugiados, desde 2015, Laschet manteve-se fielmente ao seu lado.

Tal como a chanceler, Armin Laschet é também adepto de uma CDU centrista. "Só venceremos se continuarmos fortes ao centro", é uma frase que Laschet gosta de repetir nos comícios.

Assistir ao vídeo 03:53

Karamba Diaby: Único deputado africano na Alemanha tenta reeleição

Laschet tem uma bagagem de décadas na política, incluindo a liderança da Renânia do Norte-Vestfália, o estado mais populoso da Alemanha, desde 2017.

"Um chefe estadual que governou com sucesso um estado com 18 milhões de pessoas também pode ser chanceler", diz Laschet.

Durante a campanha, o político católico, natural da cidade de Aachen, gosta de aludir às suas raízes renanas. Até hoje, só houve um chanceler oriundo da Renânia do Norte-Vestfália - Konrad Adenauer, o primeiro a governar a Alemanha no pós-guerra, entre 1949 e 1963.

Laschet vs. Söder

Na corrida pela candidatura dos conservadores à chancelaria, Laschet derrotou Markus Söder, o líder da União Social-Cristã (CSU), o partido-irmão da CDU na Baviera.

Söder gosta de se apresentar como alguém dinâmico, voltado para o futuro e carismático - os críticos usam mais a palavra "oportunismo". Mas a verdade é que, nas sondagens, o político de 54 anos é bastante mais popular do que Laschet.

Mesmo assim, Laschet conseguiu convencer os conservadores de que seria a melhor aposta a longo prazo.

Experiência até no Parlamento Europeu: um "verdadeiro europeu"

Armin Laschet tem mais experiência política do que Angela Merkel, quando ela se tornou chanceler. Além do seu passado como jurista e jornalista, desempenhou cargos em instituições locais, estaduais e federais, e até no Parlamento Europeu.

Tendo crescido numa região que faz fronteira com a Bélgica, Laschet pode ser considerado como um "verdadeiro europeu". As raízes da sua família estendem-se até à Bélgica, e o político fala fluentemente francês. Desde 2019, é também representante da Alemanha para as relações culturais franco-alemãs, e mantém laços estreitos com Paris.

Relativamente às relações transatlânticas, Laschet está um pouco mais atrás, embora tenha realizado uma "tour" pela EUA em 2019. O político promete reforçar a cooperação com Washington em questões como o clima e o comércio.

Assistir ao vídeo 06:40

O que espera das eleições a comunidade africana na Alemanha?

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados