Erdogan clama vitória: Turquia ″passou teste de democracia″ | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 25.06.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Erdogan clama vitória: Turquia "passou teste de democracia"

"A nossa democracia venceu, a vontade do povo venceu, a Turquia venceu", afirmou o Presidente Recep Tayyip Erdogan, após o anúncio da sua vitória nas eleições de domingo. Nem todos concordam.

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan

O Presidente Recep Tayyip Erdogan clamou vitória pouco depois do fecho das urnas, este domingo à noite (24.06).

"Ainda não temos os resultados definitivos, mas sabe-se que eu, Erdogan, recebi um mandato legislativo e executivo".

A Turquia "passou num novo teste de democracia, dando um exemplo ao mundo inteiro", afirmou Erdogan. "Agradeço a todos os cidadãos, não interessa de que partido, que foram às urnas exercer o seu direito democrático."

A oposição já reconheceu a vitória de Erdogan. No entanto, o opositor Muharrem Ince sublinhou que a "Turquia cortou os seus laços com a democracia e com o sistema parlamentar. Está a transformar-se num regime de um só homem".

Júbilo após maioria absoluta

Com cerca de 98% dos votos contados, o Presidente turco obteve 52,5% dos votos, de acordo com as autoridades eleitorais em Ancara, citadas pela agência de notícias estatal Anadolu. Com a maioria absoluta, não será preciso realizar uma segunda volta das eleições.

Wahlen Türkei - Erdogan erklärt sich zum Sieger - Erdogans Anhänger feiern

Apoiantes do AKP celebram vitória

Ainda de acordo com a Anadolu, o partido de Erdogan e o seu aliado ultranacionalista, o MHP, mantêm a maioria parlamentar, com cerca de 53,6% dos votos.

O anúncio dos resultados foi recebido com gritos de alegria na sede do partido do Presidente turco, o AKP.

Membros da comunidade turca na Alemanha também celebraram a vitória de Erdogan em várias cidades. Centenas de apoiantes do Presidente turco percorreram de carro as ruas de Berlim, agitando bandeiras da Turquia e gritando "Erdogan é o nosso líder". Quase dois terços da comunidade turca na Alemanha votaram pela reeleição de Erdogan, de acordo com os resultados provisórios.

Mas o deputado alemão dos Verdes Cem Özdemir, com raízes turcas, criticou os apoiantes do Presidente da Turquia na rede social Twitter.

"Sejamos honestos: os apoiantes de Erdogan germano-turcos não celebram apenas o seu autocrata, expressam também a sua rejeição pela nossa democracia liberal. Como a AfD. Temos de pensar nisto", afirmou Özdemir, referindo-se ao partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em alemão).

Ouvir o áudio 02:39

Erdogan clama vitória: Turquia "passou teste de democracia"

Mais poderes para Presidente

Estas eleições na Turquia são particularmente importantes porque representam a passagem do sistema parlamentar até agora em vigor no país para um regime presidencialista.

Erdogan diz que a mudança é uma forma de garantir a estabilidade no país, mas a oposição acusa-o de querer concentrar em si todo o poder.

A Turquia é um aliado de vários países africanos. Instituições turcas apoiaram a construção de mesquitas em vários Estados. A companhia aérea Turkish Airlines tem aumentado as suas ligações para países africanos e a presença militar também é notória, nomeadamente na Somália.

*Artigo atualizado às 12:03 CET com reação de opositor Muharrem Ince.

Leia mais