Eleições no Quénia: Reviravolta na contagem dos votos coloca Ruto em vantagem | NOTÍCIAS | DW | 14.08.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Eleições no Quénia: Reviravolta na contagem dos votos coloca Ruto em vantagem

William Ruto segue na frente na corrida presidencial com 51,25% dos votos. Ânimos exaltaram-se no centro de contagem dos votos na madrugada de domingo onde a polícia de choque foi mobilizada.

Os quenianos apelaram à paz neste domingo (14.08) enquanto esperam ansiosamente pelo resultado final de uma disputa presidencial renhida, de acordo com os resultados oficiais parciais.

Até a manhã deste domingo, o vice-presidente William Ruto seguia com 51,25% dos votos, contra os 48,09% do seu principal rival, Raila Odinga, segundo dados da comissão eleitoral.

A votação de terça-feira (09.08) foi em grande parte pacifica, mas tendo em conta eleições anteriores que ficaram marcadas pela violência e alegações de manipulação, a Comissão Eleitoral e de Fronteiras Independente (IEBC) está sob intensa pressão para entregar uma votação limpa e divulgar os resultados até 16 de agosto.

A afluência às urnas caiu acentuadamente nestas eleições, para 65%, com alguns quenianos a expressar o cansaço de ver líderes políticos de longa data a votação e a frustração com questões económicas, a corrupção e o aumento dos preços.

O Presidente cessante, Uhuru Kenyatta, cruzou as linhas étnicas que há muito marcam a política ao apoiar Odinga.

Eleições no Quénia 2022

Afluência às urnas caiu acentuadamente nestas eleições para 65%

Ânimos exaltados

A polícia de choque foi mobilizada durante a noite dentro do centro de contagem fortemente vigiado da comissão na capital do Quênia, Nairobi. Agentes de partidos políticos terão interrompido o processo, lançando alegações de manipulação uns contra os outros.

O presidente da comissão, Wafula Chebukati, acusou os agentes do partido de atrasar o processo de apuramento ao fazer perguntas desnecessárias aos funcionários eleitorais.

Mais de uma dúzia de grupos da sociedade civil, sindicatos, bem como a Amnistia Internacional, emitiram um comunicado no domingo pedindo calma.

"Pedimos a todos os candidatos políticos, seus apoiantes e o público que tenham moderação. Todos devemos evitar aumentar as tensões que poderiam facilmente desencadear a violência", disse o grupo de 14 organizações.

O Secretário de Estado dos EUA, António Blinken, numa chamada este sábado com o Presidente Uhuru Kenyatta "incentivou a paz e a paciência" à medida que a contagem dos votos das eleições de 9 de Agosto no Quénia prossegue, disse o porta-voz Ned Price.

Quénia: Casal supera barreiras sociais com linguagem gestual

Leia mais