Ciclone Idai: Gasolina chega, mas há especulação de preços em Manica | Moçambique | DW | 26.03.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Ciclone Idai: Gasolina chega, mas há especulação de preços em Manica

Combustível escasseou na província de Manica, centro de Moçambique, devido a ciclone Idai. Agora, a gasolina começa a chegar, mas há denúncias de que só alguns têm acesso a "diesel". Enquanto isso, a vida fica mais cara.

A gasolina está a chegar à província de Manica, após vários dias em falta. Foi trazida de outras zonas, enquanto não foram desbloqueadas as estradas para a Beira, a cidade mais afetada pelo ciclone Idai.

Os automobilistas respiram de alívio. O moto-taxista Júlio José ficou sem trabalhar durante alguns dias, devido à falta de combustível. Quem tinha gasolina, chegou a vendê-la a quase o dobro do preço habitual, segundo Júlio José: "Há vezes em que recorríamos a alguns lugares nos bairros e comprávamos a 100 meticais [o equivalente a 1,40 euros] por litro."

Agora que voltou a haver gasolina, o moto-taxista diz que pode voltar a trabalhar "normalmente".

Gasóleo só para alguns?

No entanto, continua a faltar "diesel". E o automobilista Marcelino Jorge afirma que há bombas que só estão a vender gasóleo a conhecidos ou a veículos prioritários do Estado ou de parceiros de cooperação.

"Nas bombas, sem você ter alguém conhecido não abastece. Outras bombas têm combustível e simplesmente atendem o Estado, que traz requisição, e nós não temos acesso", denuncia Marcelino Jorge.

Tankstelle in Chimoio, Mosambik

Camionistas à espera de combustível em Chimoio, província de Manica

Numa entrevista aos jornalistas sobre a falta de combustíveis, Ronaldo Naico, porta-voz do governo provincial de Manica, disse esperar que a situação seja regularizada em breve.

"Todas as gasolineiras têm combustível, em termos de abastecimento. Não registamos nenhum comportamento de aumento do preço de combustíveis", afirmou. "É óbvio que ainda continuamos a receber o combustível de Quelimane e do porto de Nacala, esperando que as condições do porto da Beira voltem à normalidade. Tendo em conta que já há transitabilidade para a cidade da Beira, acreditamos que nos próximos momentos não teremos rotura de stock de combustível."

Especulação de preços

Apesar de, segundo o Governo, não haver especulação de preços de combustíveis, o mesmo não acontece em relação aos preços dos produtos alimentares básicos como arroz ou farinha de trigo, depois da passagem do ciclone Idai.

Ouvir o áudio 02:57

Idai: Gasolina chega, mas há especulação de preços em Manica

"Os preços do pão, do trigo e da farinha já subiram", afirma Manuel Filipe, residente em Chimoio. "Acordei e fui à padaria. Queria comprar pão e, de repente, ouvi dizer que o pão custa oito meticais [cerca de 10 cêntimos de euro]. Saí de casa sem matabichar, porque seria menos um pão para a minha família, e tive que dar prioridade à minha família."

"Tudo está de qualquer maneira", lamenta o munícipe.

Evaristo Alberto, outro cidadão entrevistado pela DW África em Chimoio, faz um apelo ao governo: "Estamos mal. Pedimos a quem de direito para ver esta situação."

Não foi só o preço de alimentos básicos que aumentou. O cimento para construção também está mais caro. Ronaldo Naico, porta-voz do governo provincial de Manica, adverte que serão tomadas medidas contra comerciantes que sejam apanhados a especular preços - tal como a "apreensão de mercadorias e multa".

"Não podemos aproveitar a ocasião da intempérie para especular os preços", avisou Naico.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados