CEDEAO em Bissau para analisar a situação política guineense | Guiné-Bissau | DW | 18.09.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

CEDEAO em Bissau para analisar a situação política guineense

Missão liderada pelo chefe da diplomacia nigeriana pretende inteirar-se dos passos que estão a ser dados para as legislativas no país. Também fará uma avaliação da aplicação dos acordos de Lomé e Conacri.

Uma missão da Comunidade dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) faz, esta terça-feira (18.09), uma visita de algumas horas a Bissau para avaliar a situação política no país.

Segundo fonte do Governo, citada pela agência de notícias Lusa, a missão liderada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Nigéria, Geoffrey Onyeama, pretende fazer uma avaliação à aplicação dos acordos de Lomé e de Conacri.

Outro objetivo da organização regional é inteirar-se das medidas que estão a ser tomadas para a realização das eleições legislativas guineenses, previstas para 18 de novembro.

Durante a sua estada em Bissau, o chefe da diplomacia nigeriana vai reunir-se com as autoridades do país, signatários do Acordo de Conacri e representantes das organizações internacionais que atuam no país.

Solução para a crise

Em abril, os chefes de Estado e de Governo da CEDEAO encontraram-se extraordinariamente em Lomé, no Togo, para resolver o impasse político que se arrastava há cerca de três anos na Guiné-Bissau.

A cimeira decidiu pela nomeação de Aristides Gomes como primeiro-ministro da Guiné-Bissau, a abertura do Parlamento nacional, bem como pela realização de eleições legislativas a 18 de novembro.

Entretanto, atrasos na entrega dos kits eleitorais - entregues na segunda-feira (17.09) - e, consequentemente, no início do recenseamento dos eleitores levantam dúvidas quanto à realização da votação na data prevista pelas autoridades.

Leia mais