Bissau: CEDEAO saúda aprovação do programa do Governo de Nabiam | Guiné-Bissau | DW | 14.07.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Bissau: CEDEAO saúda aprovação do programa do Governo de Nabiam

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) enviou "calorosas felicitações" ao Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, pela aprovação do programa do Executivo de Nuno Nabiam.

Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló (dir.), e primeiro-ministro Nuno Gomes Nabiam

Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló (dir.), e primeiro-ministro Nuno Gomes Nabiam

"Gostaria de aproveitar esta oportunidade para endereçar-lhe as minhas calorosas felicitações pelo grande sucesso que acabou de obter, poucos meses após a sua eleição para a suprema magistratura do seu país", refere a carta assinada pelo chefe de Estado do Níger, Mahamadou Issoufou, que assume a presidência rotativa da CEDEAO.

Na carta, divulgada à imprensa pela Presidência guineense, o Presidente do Níger exorta Umaro Sissoco Embaló a "continuar a trabalhar em conjunto com todos os filhos e filhas da Guiné-Bissau" para garantir a "paz e estabilidade" necessárias para o desenvolvimento económico do país.

"Exorto também a que assegure o cumprimento escrupuloso do roteiro definido pela CEDEAO para sair da crise política e institucional que o seu país vive há vários anos", salienta Issoufou Mahamdou.

Apoio a reformas

O Presidente do Níger garante também o apoio da CEDEAO à "conclusão do processo de reformas constitucionais já em andamento" para "mudar definitivamente a página sombria da instabilidade crónica que caracterizou a vida política" do país.

Em entrevista à agência de notícias Lusa no domingo (12.07), o primeiro-ministro, Nuno Nabiam, afirmou que a CEDEAO reconhecia o seu Governo.

"A CEDEAO reconhece o Governo atual, porque tudo aquilo que é da base da Constituição foi cumprido de acordo com as recomendações da CEDEAO", afirmou o primeiro-ministro guineense.

Em abril, a CEDEAO reconheceu Umaro Sissoco Embaló como vencedor das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, pediu a formação de um Governo que respeitasse os resultados das eleições legislativas de 2019 e a realização de uma revisão constitucional.

O Conselho de Segurança da ONU expressou já este mês preocupação com os recentes incidentes na Guiné-Bissau e admitiu a possibilidade de adotar "medidas apropriadas" em resposta à evolução da situação no país.

Sublinhando que tomou nota do reconhecimento pela CEDEAO de Umaro Sissoco Embaló como vencedor das eleições presidenciais, o Conselho de Segurança instou todos os guineenses a respeitarem as decisões da CEDEAO, "incluindo a nomeação de um primeiro-ministro e formar um novo Governo, em total conformidade com as disposições da Constituição e com os resultados das eleições legislativas de março de 2019".

Assistir ao vídeo 02:14

Guiné-Bissau: Condutores insatisfeitos com nova normalidade

Leia mais