Angola: Mais carros de luxo em tempo de crise | Angola | DW | 20.04.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: Mais carros de luxo em tempo de crise

O Governo angolano prevê comprar mais de mil viaturas protocolares, orçadas em 42,5 mil milhões de kwanzas (cerca de 157,5 milhões de euros). Oposição critica aquisição em plena crise económica e financeira.

O Governo angolano prevê gastar mais de 42,5 mil milhões de kwanzas (cerca de 157,5 milhões de euros) na aquisição de mais de 1.034 viaturas de serviço de diferentes gamas. O Presidente João Lourenço ordenou a abertura de um concurso público, que termina a 7 de maio, para a compra dos veículos destinados a membros do Executivo.

A oposição apela, no entanto, à contenção de custos em tempo de crise económica e financeira.

"Há aqui uma contradição entre o que se diz e o que se pratica. Muitos têm as suas viaturas protocolares e as de uso pessoal. Portanto, no quadro das restrições, devia haver mais cuidado relativamente a esta matéria", comenta Alcides Sakala deputado e porta-voz da União Nacional para Independência Total de Angola (UNITA), o maior partido da oposição.

"Há prioridades sociais que é preciso cobrir nas circunstâncias atuais, na área da Saúde e da Educação", refere.

Ouvir o áudio 03:31

Mais carros de luxo em tempo de crise

Crise em Angola

Desde 2015 que o país é assolado por uma crise económica e financeira resultante da baixa do preço do petróleo no mercado internacional. Consequentemente, o preço dos principais produtos básicos subiu e o desemprego aumentou.

"Devemos reconhecer que o país está numa fase difícil e todo o exercício deve-se circunscrever à austeridade e poupança para evitar que o país caia num colapso", afirma Manuel Fernandes, economista e deputado da Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), a segunda maior força da oposição.

Ainda assim, o deputado sublinha que é preciso conferir alguma dignidade aos titulares de cargos públicos.

"Também é preciso que se criem condições para os responsáveis indicados para os departamentos ministeriais e não só", diz Fernandes.

Polémicas antigas

Não é a primeira vez que a aquisição de viaturas de topo de gama para titulares de cargos públicos gera polémica em Angola.

O anúncio, em 2017, da compra de mais de 200 viaturas de luxo para os deputados angolanos da presente legislatura causou uma onda de indignação em Angola. Em novembro, o Parlamento anunciou que recuou na intenção.

Na altura, em declarações a DW África, Osvaldo Mboco, analista político e professor universitário afirmou que, em tempo de crise, todos deviam consentir sacrifícios.

"É fundamental que se adquira carros mais baratos", disse na altura. "Se o país está a atravessar uma crise económica e financeira e se exige por parte do povo atos de sacrifício, é fundamental que os nossos representantes, os deputados e o próprio Executivo, também façam esses sacrifícios."

A verdade é que, em janeiro de 2018, os deputados saídos das eleições de 23 de agosto começaram a receber viaturas de marca Lexus, modelo ES, cujo preço médio ronda os 85 mil dólares (cerca de 69 mil euros).

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados